acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Aço

Vale deve reduzir a 40% fatia na Companhia Siderúrgica do Pecém

19/07/2010 | 09h30
A Vale, que anunciou na sexta-feira a entrada da sul-coreana Posco como sócia na Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), no Ceará, deverá reduzir a 40% sua participação no empreendimento, de acordo com o presidente da mineradora brasileira, Roger Agnelli. Com a adesão da Posco, que assume fatia de 20% no projeto, a Vale passa a deter 50% do empreendimento e a outra sócia, a também coreana Dongkuk, fica com 30%. No médio prazo, entretanto, essa composição deve mudar novamente.
 

"A Dongkuk tem a opção de elevar a 40% sua participação", disse Agnelli. "Os coreanos serão majoritários. Não é o foco da Vale ser majoritária nesses empreendimentos (siderúrgicos)." O executivo não informou, contudo, se há prazo para exercício da opção.
 

Segundo Agnelli, a entrada do novo sócio demonstra o interesse dos investidores internacionais em projetos no Brasil. A participação da Posco é vista pela companhia brasileira como estratégica para o desenvolvimento do empreendimento.
 

A CSP será uma usina integrada, com capacidade de produção de 3 milhões de toneladas de placas de aço para exportação. Mais adiante, essa capacidade pode dobrar. A expectativa é de início de operação em 2014 e o investimento no projeto está estimado em US$ 4 bilhões.
 

No mesmo dia em que foi anunciada a entrada da Posco no empreendimento do Ceará, o conselho da empresa sul-coreana aprovou também o plano para comprar uma participação de 24,5% na mina de minério de ferro em Pilbara, no noroeste da Austrália.
 

A Posco vai investir cerca de US$ 160 milhões na aquisição do ativo, que está sendo desenvolvido pela American Metal and Coal International e Aquila, em joint venture com 50% de participação cada. A mina deve estar totalmente operacional em 2014, quando a produção deve alcançar 40 milhões de toneladas métricas ao ano. A Posco vai receber 9,8 milhões de toneladas de minério de ferro ao ano.
 

Nos Estados Unidos, os recibos de ações (ADR, na sigla em inglês) da Vale, que operaram em queda ao longo do pregão regular de sexta-feira, mostraram movimentação atípica no "after market", para encerrar a US$ 24,34, com ganho de 15,41%. Segundo um operador, a alta teria sido provocada por um único negócio.
 

Além do anúncio sobre a Posco, que já era conhecido na manhã de sexta-feira, circularam informações no fim de semana sobre a existência de negociações por parte da Vale com vistas à obtenção de direitos para exploração de uma mina de manganês em Burkina Faso, cujas reservas estão estimadas em 20 milhões de toneladas métricas.


Fonte: Valor Online
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar