acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Tecnologia

Rolls-Royce equipa o primeiro rebocador movido a gás do mundo

08/10/2013 | 14h51

 

A Rolls-Royce, empresa global de sistemas de energia, presente no Brasil há 54 anos, celebrou com a Sanmar Shipyard a conclusão do primeiro rebocador movido a gás do mundo, em uma cerimônia realizada em Istambul, na Turquia, no último final de semana. Esta é a primeira de duas embarcações, a serem entregues à norueguesa Buksér og Berging, que terão dois motores Bergen C26:33L6PG, movidos apenas a gás natural liquefeito (GNL).
O primeiro navio, chamado Borgøy, começará a atuar serviço no próximo mês, seguindo a série de testes no mar. O equipamento será operado pela companhia estatal de óleo norueguesa Statoil, no terminal de gás Kårstø.
Os pacotes de propulsores da Rolls-Royce incluem tanque de combustível e sistema de abastecimento, além de dois dos mais novos propulsores US35 azimuth, que garantem aos rebocadores um rápido manuseio e capacidade de posicionamento, condições essenciais para operações de rebocagem.
O presidente da Rolls-Royce para a América do Sul, Francisco Itzaina, afirma que a entrega da embarcação é um marco importante para as três. O executivo também destaca que o Grupo britânico está extremamente orgulhoso por ter trabalhado nesse projeto bem-sucedido, pois representa uma nova era de propulsores para rebocadores.
“O gás está ganhando popularidade como combustível usado pela indústria naval. Suas credenciais ecológicas, combinadas com seu baixo custo, estão fazendo com que muitos operadores optem por utilizar o gás em vez dos combustíveis tradicionais, em meio a uma gama de modelos de navios”, explica.
“A maioria das frotas do mundo operam próximas à costa, em que  as regras para emissão de gás são mais rígidas. Como o GNL se tornou mais acessível, não tenho dúvidas de que muitos dos grandes portos irão, em breve, optar por esse combustível que é mais limpo, barato e não emite fumaça para abastecer seus rebocadores”, completa Itzaina.
A combinação dos motores a gás da Rolls-Royce com os mais novos propulsores indica que as emissões de CO2 do Borgøy e de seu navio-irmão serão cerca de 30% menores do que as emissões dos rebocadores que utilizam combustível comum. Eles também cumprirão com todos os regulamentos conhecidos de emissão.
Os motores Bergen da Rolls-Royce estão liderando o mercado marítimo de motores de velocidade média movidos a gás puro. O Grupo é também líder mundial em fornecimento de propulsores azimuth para rebocadores.

A Rolls-Royce, empresa global de sistemas de energia, presente no Brasil há 54 anos, celebrou com a Sanmar Shipyard a conclusão do primeiro rebocador movido a gás do mundo, em uma cerimônia realizada em Istambul, na Turquia, no último final de semana. Esta é a primeira de duas embarcações, a serem entregues à norueguesa Buksér og Berging, que terão dois motores Bergen C26:33L6PG, movidos apenas a gás natural liquefeito (GNL).

O primeiro navio, chamado Borgøy, começará a atuar serviço no próximo mês, seguindo a série de testes no mar. O equipamento será operado pela companhia estatal de óleo norueguesa Statoil, no terminal de gás Kårstø.

Os pacotes de propulsores da Rolls-Royce incluem tanque de combustível e sistema de abastecimento, além de dois dos mais novos propulsores US35 azimuth, que garantem aos rebocadores um rápido manuseio e capacidade de posicionamento, condições essenciais para operações de rebocagem.

O presidente da Rolls-Royce para a América do Sul, Francisco Itzaina, afirma que a entrega da embarcação é um marco importante para as três. O executivo também destaca que o Grupo britânico está extremamente orgulhoso por ter trabalhado nesse projeto bem-sucedido, pois representa uma nova era de propulsores para rebocadores.

“O gás está ganhando popularidade como combustível usado pela indústria naval. Suas credenciais ecológicas, combinadas com seu baixo custo, estão fazendo com que muitos operadores optem por utilizar o gás em vez dos combustíveis tradicionais, em meio a uma gama de modelos de navios”, explica.

“A maioria das frotas do mundo operam próximas à costa, em que  as regras para emissão de gás são mais rígidas. Como o GNL se tornou mais acessível, não tenho dúvidas de que muitos dos grandes portos irão, em breve, optar por esse combustível que é mais limpo, barato e não emite fumaça para abastecer seus rebocadores”, completa Itzaina.

A combinação dos motores a gás da Rolls-Royce com os mais novos propulsores indica que as emissões de CO² do Borgøy e de seu navio-irmão serão cerca de 30% menores do que as emissões dos rebocadores que utilizam combustível comum. Eles também cumprirão com todos os regulamentos conhecidos de emissão.

Os motores Bergen da Rolls-Royce estão liderando o mercado marítimo de motores de velocidade média movidos a gás puro. O Grupo é também líder mundial em fornecimento de propulsores azimuth para rebocadores.

 



Fonte: Ascom Rolls-Royce
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar