acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Capacitação

Programa capacita 400 indústrias paulistas para óleo e gás

10/03/2014 | 11h09

 

O Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP), regional Sorocaba, em parceria com a FIESP e USP realizou nesta quinta-feira, dia 27, uma palestra para apresentar aos empresários as oportunidades que o setor de Petróleo e Gás oferece e como podem se transformar em fornecedores desta cadeia.
Com o tema “As Oportunidades do Pré-sal: Como participar deste mercado?”, o evento reuniu interessados de pequenas e médias empresas da região de Sorocaba que desejam ser fornecedoras da cadeira de petróleo e gás.
O encontro teve a participação do Diretor do CIESP Sorocaba e do Departamento de Tecnologia do CIESP SP, Erly Domingues de Syllos, do consultor com experiência na área petrolífera, Virgílio Calças, da especialista de inovação da Universidade de São Paulo (USP), Cláudia Pavani e de Antônio Luiz Schiliró – diretor da AR Ar Condicionado e Engenharia, empresa que faz parte do programa NAGI PG.
O que é o NAGI PG
O Programa NAGI PG (Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação na Cadeia de Petróleo e Gás) é uma parceria entre a USP, FIESP e CIESP e tem o objetivo de capacitar 400 pequenas e médias indústrias paulistas para elaborar projetos de inovação a serem apresentados à Petrobras a fim de contribuir com produtos e serviços relacionados ao Pré-sal.
De acordo com o consultor Virgílio Calças, hoje são retirados 400 mil barris de petróleo por dia do pré-sal. “Ele é o maior gerador econômico do Brasil no momento, isso representa um salto para a indústria, uma demanda considerável de tecnologia”, comenta.
Conforme o consultor, os objetivos de capacitar as empresas para contribuir com o Pré-sal são a busca por novas tecnologias, cooperação entre setor público e iniciativa privada, ganho da escala de bens e serviços, promoção da competitividade e qualificação dos recursos humanos. “A finalidade desse projeto é também desenvolver a indústria local e valorizar os produtos nacionais. Por exemplo, uma indústria local que produz peça para outro segmento, pode se preparar para fornecer um determinado tipo de peça para a Petrobras, que auxilie na captação de petróleo.”, explica.
Segundo o consultor, 85% dos fornecedores do Pré-sal faturam até 100 milhões e são micro e pequenas empresas. “Entre 2015 e 2016 a Petrobras vai ter mais oito plataformas de captação de petróleo em operação, aumentando a produção para mais de 1 milhão de barris por dia. Queremos informar os empresários que eles podem contribuir e faturar com esse sistema”, afirma.
Para o Diretor do CIESP Sorocaba, Erly Domingues de Syllos, essa oportunidade de oferecer produtos e serviços para o setor de petróleo e gás é uma inovação para colocar as pequenas empresas no patamar de multinacionais e abrir um novo mercado nacional e mundial. “É importante capacitar esses empresários para estimular o capital regional e aumentar a competitividade. O mercado da região de Sorocaba só tem a ganhar”, complementa.
O empresário sorocabano do ramo de automação, Rômulo Alves de Araújo, aderiu ao projeto e vai fazer a capacitação para trabalhar como fornecedor deste segmento de mercado. “Esse programa traz a perspectiva de desenvolvimento empresarial, além de melhoria interna e resultado positivo”, conclui.
Os empresários que tiverem interesse e quiserem mais informações sobre como aderir ao projeto, podem entrar em contato com o CIESP pelo telefone: (15) 4009-2900, ou na sede, que fica na Av. Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, 3.260 - Sorocaba/SP·. Outras informações pelo site www.ciespsorocaba.com.br.

O Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP), regional Sorocaba, em parceria com a FIESP e USP realizou no dia 27 de fevereiro, uma palestra para apresentar aos empresários as oportunidades que o setor de Petróleo e Gás oferece e como podem se transformar em fornecedores desta cadeia.

Com o tema “As Oportunidades do Pré-sal: Como participar deste mercado?”, o evento reuniu interessados de pequenas e médias empresas da região de Sorocaba que desejam ser fornecedoras da cadeira de petróleo e gás.

O encontro teve a participação do Diretor do CIESP Sorocaba e do Departamento de Tecnologia do CIESP SP, Erly Domingues de Syllos, do consultor com experiência na área petrolífera, Virgílio Calças, da especialista de inovação da Universidade de São Paulo (USP), Cláudia Pavani e de Antônio Luiz Schiliró – diretor da AR Ar Condicionado e Engenharia, empresa que faz parte do programa NAGI PG.

O Programa NAGI PG (Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação na Cadeia de Petróleo e Gás) é uma parceria entre a USP, FIESP e CIESP e tem o objetivo de capacitar 400 pequenas e médias indústrias paulistas para elaborar projetos de inovação a serem apresentados à Petrobras a fim de contribuir com produtos e serviços relacionados ao Pré-sal.

De acordo com o consultor Virgílio Calças, hoje são retirados 400 mil barris de petróleo por dia do pré-sal. “Ele é o maior gerador econômico do Brasil no momento, isso representa um salto para a indústria, uma demanda considerável de tecnologia”, comenta.

Conforme o consultor, os objetivos de capacitar as empresas para contribuir com o Pré-sal são a busca por novas tecnologias, cooperação entre setor público e iniciativa privada, ganho da escala de bens e serviços, promoção da competitividade e qualificação dos recursos humanos. “A finalidade desse projeto é também desenvolver a indústria local e valorizar os produtos nacionais. Por exemplo, uma indústria local que produz peça para outro segmento, pode se preparar para fornecer um determinado tipo de peça para a Petrobras, que auxilie na captação de petróleo.”, explica.

Segundo o consultor, 85% dos fornecedores do Pré-sal faturam até 100 milhões e são micro e pequenas empresas. “Entre 2015 e 2016 a Petrobras vai ter mais oito plataformas de captação de petróleo em operação, aumentando a produção para mais de 1 milhão de barris por dia. Queremos informar os empresários que eles podem contribuir e faturar com esse sistema”, afirma.

Para o Diretor do CIESP Sorocaba, Erly Domingues de Syllos, essa oportunidade de oferecer produtos e serviços para o setor de petróleo e gás é uma inovação para colocar as pequenas empresas no patamar de multinacionais e abrir um novo mercado nacional e mundial. “É importante capacitar esses empresários para estimular o capital regional e aumentar a competitividade. O mercado da região de Sorocaba só tem a ganhar”, complementa.

O empresário sorocabano do ramo de automação, Rômulo Alves de Araújo, aderiu ao projeto e vai fazer a capacitação para trabalhar como fornecedor deste segmento de mercado. “Esse programa traz a perspectiva de desenvolvimento empresarial, além de melhoria interna e resultado positivo”, conclui.

 



Fonte: Redação TN/ Ascom Ciesp
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar