acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Política Energética

Pré-sal fica para a semana que vem

29/06/2010 | 11h22

O Projeto de Lei 5.940/09, que cria o Fundo Social, institui o modelo de partilha nos contratos de exploração do petróleo no pré-sal e altera o pagamento dos royalties só deve ser votado na semana que vem. O calendário de votação foi modificado pelos jogos da Copa do Mundo e das festas de São Pedro no Nordeste — que impedem o quorum mínimo com a debandada dos deputados. Para a votação, são necessários 256 parlamentares mais um.

Para o Rio de Janeiro, a decisão é importante, porque retira do estado, em média, R$ 10 bilhões. Isso porque a emenda aprovada pelo deputado Ibsen Pinheiro (PMDB-RS) determinou que o pagamento dos royalties deve ser feito segundo o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), sem diferenciar estados ou municípios produtores.

Mas outra emenda, do senador Pedro Simon (PMDB-RS), aprovada no Senado em maio, assegurou a manutenção do texto, com a ressalva de que a União deveria ressarcir os produtores. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva já deu a garantias informais ao Rio que vai vetar a proposta, classificada como exagero típico de ano eleitoral, quando os parlamentares precisam fazer agrados aos seus eleitores regionais.

O deputado Hugo Leal (PSC-RJ) destacou que, em seu texto, Ibsen propôs exceção do pagamento diferenciado para a União e para os municípios que servem de área de embarque e desembarque — que favoreceu 25 cidades gaúchas. Logo depois, com o texto de Simon, tudo voltou, em tese, a ser como antes. “Se a União terá que ressarcir os estados e municípios produtores, porque é que fizeram toda essa confusão? Bastaria destinar 10% do Fundo Social aos não produtores”, defendeu Leal.



Fonte: O Dia Online
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar