acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Negócios

Petronas manterá pendente acordo com OGX até reestruturação de dívida

26/08/2013 | 10h47

 

A Petronas, estatal de petróleo e gás da Malásia, informou que o acordo de compra de 40% do campo da brasileira OGX de Tubarão Martelo está pendente devido ao processo de reestruturação de dívidas a petroleira de Eike Batista.
A companhia ainda não completou a transação firmada em maio, pela qual vai pagar US$ 850 milhões por fatia em dois blocos de concessão da OGX. Do total, US$ 250 milhões seriam creditados à vista e o restante dependeria da produção efetiva. A empresa asiática não participa da reestruturação, mas atrelou a formalização da compra ao processo.
O CEO da Petronas, Shamsul Azhar Abbas, afirmou que "o acordo está pendente enquanto não houver maior clareza em relação à reestruturação em exercício". Abbas disse ainda que "a OGX não tinha essa condição anteriormente e a reestruturação de débitos tem de ocorrer primeiro".
Detentores de títulos da OGX contrataram a Rothschild para aconselhá-los no processo, segundo informou fonte a par do assunto neste mês. A companhia brasileira, segundo analistas, pode ficar sem caixa para honrar os compromissos já neste mês. O controlador Eike Batista, no entanto, tem levantado caixa com a venda de fatias de suas companhias, mas também contava com a primeira parcela da Petronas.

A Petronas, estatal de petróleo e gás da Malásia, informou que o acordo de compra de 40% do campo da brasileira OGX de Tubarão Martelo está pendente devido ao processo de reestruturação de dívidas a petroleira de Eike Batista.

 

A companhia ainda não completou a transação firmada em maio, pela qual vai pagar US$ 850 milhões por fatia em dois blocos de concessão da OGX. Do total, US$ 250 milhões seriam creditados à vista e o restante dependeria da produção efetiva. A empresa asiática não participa da reestruturação, mas atrelou a formalização da compra ao processo.

 

O CEO da Petronas, Shamsul Azhar Abbas, afirmou que "o acordo está pendente enquanto não houver maior clareza em relação à reestruturação em exercício". Abbas disse ainda que "a OGX não tinha essa condição anteriormente e a reestruturação de débitos tem de ocorrer primeiro".

 

Detentores de títulos da OGX contrataram a Rothschild para aconselhá-los no processo, segundo informou fonte a par do assunto neste mês. A companhia brasileira, segundo analistas, pode ficar sem caixa para honrar os compromissos já neste mês. O controlador Eike Batista, no entanto, tem levantado caixa com a venda de fatias de suas companhias, mas também contava com a primeira parcela da Petronas.

 

 

O campo

 

Tubarão Martelo é composto pelos blocos BM-C-39 e BM-C-40, em águas rasas da Bacia de Campos. Ele está localizado em águas rasas da Bacia de Campos e tem volume total estimado em 285 milhões de barris de petróleo ao longo do período de concessão da fase de produção.



Fonte: Valor Online
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar