acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Mobilidade Urbana

Pesquisas para a produção de carro elétrico poderão receber incentivos do governo

27/07/2010 | 09h28
As medidas de incentivo para a produção do carro elétrico nacional devem ser discutidas hoje (27) com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante reunião que tratará da inovação tecnológica no setor automobilístico, disse, o ministro de Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende. 
 

Na abertura da reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), no último dia 25, Rezende autorizou a abertura de editais no valor de R$ 500 milhões para financiar pesquisas dentro de empresas. Parte dele, de acordo com o ministério, poderá ser destinada para o desenvolvimento do carro elétrico. Em maio, o Ministério da Fazenda chegou a anunciar a divulgação de uma política para o carro elétrico, mas cancelou na última hora.
 

Em palestra hoje na SBPC, o ministro Sergio Rezende destacou o aumento da produção científica no país que, segundo ele, tem crescido três vezes mais que a média nacional. Ele afirmou que uma das metas da pasta é aumentar para 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) o percentual de investimento em ciência e tecnologia. Atualmente, o governo destina 1% do PIB vão para o setor.
 

Existe uma forte correlação entre o desenvolvimento de um país com a quantidade de investimento em ciência, tecnologia e inovação. Pensando no crescimento da economia brasileira, a meta do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) é de que, em 2022, cerca de 2,5% do PIB sejam investidos em pesquisa e inovação.
 

Ontem (26), o ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, mostrou os números que comprovam que o crescimento do setor de ciência e tecnologia acompanha o ritmo da economia do país. “Na primeira década do século 21 o orçamento do [Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico] (FNDCT) saltou de R$ 2,2 milhões para R$ 3,1 bilhões. Além disso, o crescimento da produção científica no Brasil é três vezes maior que a média mundial”, disse Rezende.


Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar