acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Eletricidade

Mercado livre de energia acredita em novo crescimento de mercado

06/11/2013 | 10h30

 

Reajustes nas tarifas de distribuidoras podem dar um novo impulso para a retomada da atratividade do mercado livre de energia, que já espera um aumento significativo do número de migrações de empresas para este ambiente de contratação. A opinião é do diretor da Trade Energy, Sérgio Costa, que confia na prática de preços mais competitivos para a contratação de energia de longo prazo no mercado livre.
"Outro aspecto relevante diz respeito às novas regras de garantias para as operações no Mercado de Curto Prazo (MCP), que impactaram em uma redução expressiva da inadimplência nas liquidações financeiras da CCEE, trazendo ainda mais segurança para as operações. Estas medidas vão tornar o mercado livre mais atraente e trazer um grande fluxo de companhias a este ambiente de contratação", afirma o executivo.
Outro aspecto importante a ser considerado diz respeito à melhor compreensão dos agentes quanto às mudanças de regras para a formação do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD). "Como os valores do PLD passaram a incorporar o custo do despacho das usinas termelétricas por segurança energética, a partir de setembro de 2013, os mesmos ficaram mais elevados, porém, houve uma redução expressiva da cobrança do Encargo de Serviço de Sistema - Segurança Energética (ESS-SE), que antes desta data, era cobrado mensalmente dos consumidores livres", declara Costa.
Desta forma, os consumidores livres, que estão adequadamente contratados no longo prazo, passaram a ter uma grande redução no custo total com energia elétrica.

Reajustes nas tarifas de distribuidoras podem dar um novo impulso para a retomada da atratividade do mercado livre de energia, que já espera um aumento significativo do número de migrações de empresas para este ambiente de contratação. A opinião é do diretor da Trade Energy, Sérgio Costa, que confia na prática de preços mais competitivos para a contratação de energia de longo prazo no mercado livre.

"Outro aspecto relevante diz respeito às novas regras de garantias para as operações no Mercado de Curto Prazo (MCP), que impactaram em uma redução expressiva da inadimplência nas liquidações financeiras da CCEE, trazendo ainda mais segurança para as operações. Estas medidas vão tornar o mercado livre mais atraente e trazer um grande fluxo de companhias a este ambiente de contratação", afirma o executivo.

Outro aspecto importante a ser considerado diz respeito à melhor compreensão dos agentes quanto às mudanças de regras para a formação do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD). "Como os valores do PLD passaram a incorporar o custo do despacho das usinas termelétricas por segurança energética, a partir de setembro de 2013, os mesmos ficaram mais elevados, porém, houve uma redução expressiva da cobrança do Encargo de Serviço de Sistema - Segurança Energética (ESS-SE), que antes desta data, era cobrado mensalmente dos consumidores livres", declara Costa.

Desta forma, os consumidores livres, que estão adequadamente contratados no longo prazo, passaram a ter uma grande redução no custo total com energia elétrica.

 



Fonte: Ascom Trade Energy
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar