acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

Mantega proíbe BNDES de financiar Estados

14/10/2013 | 10h36

 

O governo quer que o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) pare de conceder financiamentos aos estados, informou o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ele lembra que, de posse de autorização do Tesouro, governadores podem buscar crédito em organismos internacionais, na Caixa ou em bancos privados. Mantega assegurou, porém, que não pretende autorizar novas contratações de dívida neste ano. "Os governadores estão pedindo, mas não vão levar".
Até o ano passado, segundo dados do Tesouro, os 27 estados contrataram ou tiveram autorização para contratar dívidas novas no valor de R$ 88,96 bilhões. O ministro garantiu que eles tinham espaço na relação dívida/receita corrente líquida para fazer as operações, conforme informações colhidas pelo Programa de Ajuste Fiscal (PAF) a que os governadores estão submetidos. "Esta é a única maneira de eles fazerem investimentos".
Mantega alega que, mesmo com as autorizações já feitas, a dívida dos estados está caindo. "A situação é cada vez melhor e mais favorável", disse. Segundo ele, a dívida dos estados representava 17,5% do PIB em 2002 e hoje é de 9,9% do PIB; os municípios também tiveram redução da dívida de 2,4% para 1,8% do PIB no mesmo período.

O governo quer que o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) pare de conceder financiamentos aos estados, informou o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ele lembra que, de posse de autorização do Tesouro, governadores podem buscar crédito em organismos internacionais, na Caixa ou em bancos privados. Mantega assegurou, porém, que não pretende autorizar novas contratações de dívida neste ano. "Os governadores estão pedindo, mas não vão levar".

Até o ano passado, segundo dados do Tesouro, os 27 estados contrataram ou tiveram autorização para contratar dívidas novas no valor de R$ 88,96 bilhões. O ministro garantiu que eles tinham espaço na relação dívida/receita corrente líquida para fazer as operações, conforme informações colhidas pelo Programa de Ajuste Fiscal (PAF) a que os governadores estão submetidos. "Esta é a única maneira de eles fazerem investimentos".

Mantega alega que, mesmo com as autorizações já feitas, a dívida dos estados está caindo. "A situação é cada vez melhor e mais favorável", disse. Segundo ele, a dívida dos estados representava 17,5% do PIB em 2002 e hoje é de 9,9% do PIB; os municípios também tiveram redução da dívida de 2,4% para 1,8% do PIB no mesmo período.

 



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar