acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Paralisação

Funcionários da Petrobras Distribuidora paralisam atividades amanhã no Rio

16/11/2009 | 09h22

Os funcionários da Petrobras Distribuidora (BR) farão greve a partir de hoje (16). Eles paralisam as atividades, por 24 horas, em fábricas e terminais de distribuição de combustíveis e lubrificantes no Rio de Janeiro. A finalidade é suspender, principalmente, os trabalhos no edifício-sede da BR, na Rua General Canabarro, zona norte da cidade, no terminal Duque de Caxias – responsável pela distribuição de combustível no estado – e na fábrica de lubrificantes da subsidiaria da Petrobras para a área de distribuição, na Baixada Fluminense. A categoria reivindica reajuste salarial de cerca de 10%.

 

O Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Minérios e Derivados de petróleo do Estado do Rio de Janeiro (Sitramico-RJ) avalia, ainda, as adesões dos trabalhadores nos terminais dos aeroportos Santos Dumont e do Galeão, o que poderá prejudicará o abastecimento das aeronaves. O maior impacto, no entanto, na avaliação da entidade, acontecerá nos postos de gasolina de bandeira BR, que não receberão combustível na segunda-feira, para restabelecer o estoque.

 

A paralisação de advertência da BR ocorre no mesmo dia em que o sindicato dos petroleiros marcou a paralisação da Refinaria de Duque de Caxias. Em São Paulo, segundo informações do Sitramico-RJ, os trabalhadores já iniciaram a paralisação na madrugada da última sexta-feira (13). Os sindicatos de Minas Gerais agendaram a paralisação também para amanhã.

 

Conforme definido na pauta de negociação, a categoria reivindica aumento salarial real de 11,4% sobre a correção dos salários, baseada no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do período, a partir da data-base, em 1º de setembro. Os funcionários da BR Distribuidora também incluíram na pauta o reajuste do tíquete refeição de R$ 27 para R$ 32.

 

Ainda segundo texto, a categoria reivindica abono salarial em valor equivalente ao de uma remuneração correspondente ao mês de setembro de 2009, com piso mínimo de R$ 2,5 mil.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar