acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Evento

Feira internacional de quimica fina e derivados acontece no próximo mês em São Paulo

22/07/2010 | 09h29

Aproximar o mercado latino-americano, especialmente o brasileiro, dos principais fornecedores da indústria química mundial é o objetivo da primeira Informex Latin America - Feira Internacional de Química Fina e Derivados, que acontece nos dias 23 e 24 de agosto em São Paulo.

 

Organizada pela UBM Brazil, braço local da United Business Media Limited (UBM), multinacional de origem inglesa especializada em feiras e mídia de negócios, a edição regional da Informex Latin será bienal no Brasil, sendo realizada em outros países da América Latina nos outros anos.

 

Nos Estados Unidos, o evento que acontece há 26 anos é referência no segmento químico ao reunir gigantes do setor, como Bayer, Basf, Du Pont, Dow, Rhodia, entre outras empresas. Além de Brasil e EUA, a UBM também organiza uma versão da Informex na Índia. No Brasil, o evento tem o patrocínio da Petrobrás Soluções Químicas, Purac, Bunge, Base Química, além de expositores como Pochteca, Sasil, Makeni, Kemira, Poliquimia, Elsevier, Ambicamp, Oswaldo Cruz Química, UK Trade Invest, entre outros.

 

A Informex Latin America reunirá mais de 40 expositores e 1,2 mil participantes, entre visitantes e congressistas nacionais e internacionais, com a proposta de num só local gerar conhecimento e criar uma eficiente rede de relacionamento, oportunidades e negócios entre fornecedores e potenciais clientes.

 

Executivos de fabricantes e distribuidores de produtos químicos tradicionais, bioquímicos, química fina, sustentável e de alta performance apresentarão o que há de novo em tecnologia, soluções e serviços para as mais diversas aplicações, como tintas, vernizes, detergentes, indústria automotiva e aeroespacial, combustíveis, lubrificantes, aditivos, tratamento de água, higiene pessoal, cosméticos, alimentos, adesivos plásticos, aromas, polímeros, eletrônicos, têxteis, entre outras.

 

“A Informex Latin terá como enfoque promover conteúdo e networking por meio de palestras – em que especialistas reconhecidos mundialmente dissertarão sobre as principais tendências e inovações do segmento químico - e exposições, onde será possível conhecer as novidades e lançamentos”, destaca o gerente do evento no Brasil, Cassiano Facchinetti.

 

Peso econômico

 

O segmento químico é parte relevante da economia nacional, posicionando-se como a terceira maior cadeia produtiva industrial do País. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), o setor registrou um faturamento de US$ 103,3 bilhões em 2009. As importações de produtos químicos chegaram à casa de US$ 26,1 bilhões. Até 2014, a indústria química nacional deverá investir aproximadamente US$ 26 bi, segundo recente estudo da Abiquim, com cerca de 800 empresas.

 

“Estes números demonstram a importância de um evento internacional que concentre todo o setor e que coloque em exposição os fornecedores mundiais de química, com interesse em exportar para o Brasil”, ressalta Facchinetti.

 

“O setor químico brasileiro está inserido entre os grandes mercados mundiais. A Associquim, como entidade que congrega distribuidores de produtos químicos e petroquímicos no âmbito nacional, não poderia deixar de prestar o seu apoio a um evento de tão grande importância”, diz o presidente da Associquim, Rubens Medrano.

 

A Informex Latin conta com apoio das principais lideranças institucionais e empresariais do setor químico do País: Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos Químicos e Petroquímicos (Associquim), Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina, Biotecnologia e suas Especialidades (Abifina), Associação Brasileira de Polímeros (ABpol), Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Defesa Agrícola (Sindag), bem como de organizações internacionais, entre as quais a Sociedade Americana “Socma” (Society of Chemical Manufacturers and Affiliates), Croplife Latin-America e a UK Trade & Investiment.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar