acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Offshore

Dome participa no cluster de subsea no Porto do Açu

06/02/2019 | 13h32
Dome participa no cluster de subsea no Porto do Açu
Divulgação Divulgação

A Dome, joint venture entre a Prumo Logística e a GranIHC, reforçou em 2018 sua vocação para ser um cluster para o mercado subsea. Os projetos desenvolvidos pela companhia e a assinatura de novos contratos ao longo do ano reforçaram a retomada do setor de óleo e gás e o reaquecimento do mercado.

Um deles foi a parceria com a TechnipFMC para a instalação de uma spoolbase no Porto do Açu. A base, que começa a ser construída no primeiro semestre deste ano, será um importante ativo para o atendimento das demandas de subsea. Na unidade serão realizadas atividades de fabricação de linhas rígidas para instalações submarinas, envolvendo o recebimento dos tubos rígidos, armazenagem, movimentação, soldagem e revestimento das linhas.

“Com a instalação da spoolbase, posicionamos a Dome como um elo importante na cadeia de prestação de serviços no segmento de subsea, com a possibilidade de construção, montagem e reparo de equipamentos submarinos. Além disso, a parceria também reforça a posição do Porto do Açu para o mercado nacional, integrando as linhas rígidas e as flexíveis já existentes”, afirmou Vinicius Patel, CEO da Dome.

Institucional

Ainda em 2018, a Dome realizou o primeiro warm stacking de um navio sonda no Brasil. O West Carina, da Seadrill, ficou atracado no Porto do Açu, sem a necessidade de remoção de seus propulsores, dada a capacidade do Porto em oferecer infraestrutura com calado acima de 18 metros. Assim, o armador encontrou um posicionamento estratégico para concorrer a oportunidades de mercado, enquanto realizava atividades de manutenção e preparo da unidade para novas campanhas – o que aconteceu em dezembro. Além da atracação do navio sonda, a Dome também realizou de forma integrada serviços logísticos, de integridade, de reparo e de manutenção da unidade.

Outro destaque de 2018 foi a assinatura, em parceria com a Porto do Açu Operações, de contrato com a GranEnergia para atracação, serviços logísticos, de integridade e reparo da UMS Olympia. O flotel atracou em dezembro no Porto, onde se prepara para mobilização em novo contrato.

“Somos um terminal one-stop-shop, criado para contribuir com o aumento da eficiência dos nossos clientes, otimizando custos, eliminando gargalos e oferecendo serviços customizados de acordo com as suas necessidades”, explicou Patel.

Além de atender ao mercado de subsea, a Dome tem investido no desenvolvimento de um Centro de Serviços, que conta com empresas que foram sendo integradas ao longo de 2018 e que atuam em diversas áreas. O Centro visa oferecer aos usuários do Complexo do Porto do Açu uma solução integrada, com parceiros dos setores de:

Operações Portuárias: C-TANK e Manobrasso; e

Reparo e Construção: SmartCoat, Alpha Lifting e Supply Marine; e

Resposta a Emergências: OceanPact e SAME; e

Facilities: Brazil Supply, Armazém Offshore e Jevin.

Além desses importantes marcos, a Dome recebeu no fim do ano passado uma série de certificações, corroborando a preocupação da empresa com a segurança de todas suas operações. São elas: ISO 9001: 2015 (gestão de qualidade), ISO 14001:2015 (gestão ambiental) e OHSAS 18001 (gestão de saúde e segurança ocupacional).

Sobre a Dome - Instalada na margem sul do Terminal Onshore (Terminal 2) do Porto do Açu, a Dome conta com 460 metros lineares de cais prontos para uso imediato. Para atender às diferentes necessidades do mercado, a empresa possui ampla capacidade de expansão da área originalmente ocupada. Outro diferencial é a possibilidade de utilizar estruturas do Porto do Açu para atender aos clientes, como o Terminal Multicargas (T-MULT) e o Molhe Sul.



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar