acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Despedida

Diretoria da PPSA deixa a empresa amanhã

10/11/2016 | 12h06

Amanhã, 11 de novembro estarão encerrados os mandatos da atual diretoria, finalizando-se o primeiro ciclo de gestão da PPSA e renovando-se integralmente a sua composição. 

A PPSA possui hoje sólidas bases estruturais que a credenciam a prosseguir na sua evolução empresarial, como executora de missão estratégica na representação do Estado brasileiro na gestão dos empreendimentos petrolíferos no polígono do pré-sal. 

A Diretoria se despede com o sentimento de dever cumprido e agradecimento a todos aqueles que contribuíram para o êxito de sua missão, otimista de que o pré-sal brasileiro fará jus a toda esperança nele depositada, de um forte indutor ao crescimento econômico e à promoção da cidadania em nosso País. 

Em 12 de novembro de 2013, Oswaldo Pedrosa, diretor-presidente; Antonio Claudio Pereira da Silva, diretor de Administração, Controle e Finanças; Edson Nakagawa, diretor técnico de Fiscalização e Renato Darros, diretor de Gestão de Contratos, subscreviam o Termo de Posse para dar partida à Pré-Sal Petróleo S.A. - PPSA.   

Três semanas antes, o resultado do leilão de Libra – experiência precursora do modelo de parceria público-privada na área de petróleo - já antevia a confiança que também o mercado depositava na Diretoria da PPSA, expressa em manifestações de diversos atores do setor quanto à necessidade de se ter um diretoria qualificada e experiente para dar segurança ao investidor em aderir ao projeto.   

Ao longo dos três anos que se seguiram – prazo de duração dos mandatos, a PPSA pôde corresponder a todas essas expectativas, apesar das dificuldades conjunturais enfrentadas, notadamente no que se refere às restrições de caráter orçamentário e financeiro, que limitaram os recursos disponíveis para a implantação da Companhia a, aproximadamente, 40% do que fora previsto.   

A despeito do fato, consolidou-se a gestão do Contrato de Partilha da Produção de Libra e estiveram em negociação 14 acordos e pré-acordos de individualização da produção em áreas do polígono do pré-sal, dos quais quatro acordos foram assinados e cinco acordos e pré-acordos encontram-se em andamento, além de seis novos casos próximos do início de negociação.  

Cerca de US$ 230 milhões é a projeção de receita líquida para a União, em 2017, em decorrência da produção esperada no Teste de Longa Duração (TLD) de Libra e nas áreas unitizadas, cuja comercialização caberá à PPSA executar. Para os anos que se seguem a receita manter-se-á em franca expansão, devendo dobrar em 2021. 

A formação de uma equipe de 30 profissionais – até então o quadro de pessoal da PPSA - altamente qualificada em termos de formação acadêmica e experiente internacionalmente no setor de óleo e gás, com uma vivência média de 35 anos na atividade de supervisão em primeira linha das atividades finalísticas, tornou-se o fiel da balança para a obtenção dos resultados que foram alcançados. 

A Diretoria se despede com o sentimento de dever cumprido e agradecimento a todos aqueles que contribuíram para o êxito de sua missão, otimista de que o pré-sal brasileiro fará jus a toda esperança nele depositada, de um forte indutor ao crescimento econômico e à promoção da cidadania em nosso País.



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar