acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
América do Sul

CDS inicia perfuração do primeiro poço no Paraguai em duas semanas

11/10/2005 | 00h00

CDS Energy, unidade paraguaia da britânica CDS Oil and Gas Group, planeja começar a perfurar um poço de exploração no bloco Gabino Mendoza, na bacia de Chaco de Paraguai, em aproximadamente duas semanas, informou a CDS em um comunicado.

O investimento no poço será de aproximadamente US$ 4 milhões, disse à BNamericas o presidente e gerente geral da CDS, James Wade.   
 
A perfuração deveria completar-se em cerca de um mês e meio ou dois meses, disse Wade. "Deverá ser um poço bastante rápido e não apresentará dificuldades", resumiu.

O poço de 3.200 m, chamado de Independência III, que seria o primeiro da CDS no país, terá uma profundidade de 200 metros desde o poço Independência I perfurado em 1993 pela firma paraguaia Primo Cano Martínez.

O poço Independência I produziu em março de 2004 um total de 960 mil pés cúbicos por dia de gás, dos quais 94% foi metano.

"Esperamos encontrar gás, mas não saberemos até perfurar", destacou Wade, que acrescentou que seria prematuro especular sobre os mercados para o gás.

A bacia de Chaco é localizada no noroeste do Paraguai, próxima à fronteira da Bolívia.

A Nabors International começou a mobilizar desde Santa Cruz, na Bolívia, a plataforma 426 que estava em espera de CDS, se lê no comunicado.

CDS començou a ter cotas na bolsa AIM de Londres em 29 de setembro. Os lucros que obtenha financiarão o primeiro poço da empresa no Paraguai e entregarão capital de trabalho adicional, acrescentou Wade. 

A empresa se formou em março de 2004 com o objetivo de explorar o potencial de exploração e produção de petróleo e gás na bacia de Chaco. CDS Energy, filial da CDS na que possui 98,1%, possui licenças para os três blocos que abarcam um total de 2,9 milhões de hectares nesta bacia. 

A CDS Energy possui participações em exploração em 100% no bloco de 40 mil hectares Gabino Mendoza, no bloco de 2,3 milhões de hectares Boqueron e no de 491.077 hectares PG&E.

A Primo Cano Martínez possui uma regalia prioritária bruta de 3,5% no bloco Ganbino Mendoza e a empresa local PG&E tem uma de 0,6% no bloco PG&E.

Entre 1947 e 1993 programas de exploração realizados por diversas petroleiras locais e norte-americanas perfuraram 26 poços em propriedades de CDS dos quais 22 continham mostras de hidrocarbonetos, se lê no comunicado.

A CDS identificou diversos prospectos e pistas para seguir uma estratégia de perfuração de poços gêmeos a 200 metros de distância de outros antigos com mostras de hidrocarbonetos. Planeja perfurar ao menos um poço em cada bloco "dependendo da disponibilidade de fundos" agrega o documento.

"Temos planos para poços adicionais e falaremos deles em seu devido momento", comentou Wade. "Cruzaremos essa ponte quando chegarmos".



Fonte: BNamericas
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar