acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Negócios

BTG planeja investimentos com russos

03/10/2013 | 16h10

 

O banco BTG Pactual, fundado pelo bilionário André Esteves, estuda investimentos conjuntos na América Latina com o parceiro VTB Group, de Moscou, ou com seus clientes russos.
"Há planos sérios", disse Esteves, presidente do conselho da instituição, em entrevista em fórum ontem, em Moscou, citando leilões de campos de petróleo no Brasil e produtores de petróleo bruto em busca de investidores. "É sempre bom para grandes empresas russas chegar à América Latina aliadas a algum participante local".
O VTB Group, segunda maior instituição de crédito da Rússia, formou aliança com o BTG em junho de 2012, depois de ter investido na oferta pública inicial de ações do banco brasileiro, e o BTG, então, comprou ações quando o VTB levantou US$ 3,3 bilhões em maio, segundo Esteves. Os leilões de campos de petróleo e gás no Brasil "poderiam ser uma boa oportunidade" para empresas russas estatais, como a OAO Rosneft ou OAO Gazprom, disse Esteves.
"Vemos muitas similaridades e oportunidades entre a Rússia com Leste Europeu e o Brasil com a América Latina", disse Esteves. "Essa é a ideia - atravessar essa ponte entre todos os tipos de oportunidades de investimento e assessorar empresas russas e do Leste Europeu na América Latina, e companhias latino-americanas na Rússia".
Um investimento direto da BTG em vendas de ativos estatais russos é "possível", de acordo com o executivo.
O banco quase concluiu a reestruturação empresarial das companhias do ex-bilionário brasileiro Eike Batista, ajudando-as a vender ativos e encontrar investidores, segundo Esteves. "Promovemos alguma reestruturação empresarial do grupo e estamos passando ao estágio final disso", disse Esteves.
A OGX Petróleo & Gás Participações SA, principal produtora de petróleo de Batista, deixou de honrar pagamentos referentes a bônus na terça-feira, o que levou a Standard & Poor's a conferir a nota de crédito mais baixa, no nível de inadimplente, para a empresa e os bônus. O patrimônio de Batista diminuiu em mais de US$ 30 bilhões desde o início de 2012, em meio à perda de confiança dos investidores em suas empresas interligadas de recursos naturais e logística, depois de não atingir metas de produção, de atrasos em projetos e do aumento no endividamento.
Batista e o BTG, cuja sede fica em São Paulo, anunciaram acordo em 6 de março para que o banco fornecesse a suas empresas serviços de assessoria financeira, crédito e investimentos futuros de longo prazo em projetos. Deste então, o BTG cancelou a linha de crédito e encolheu o alcance do acordo, mas vai continuar a assessorar Batista nas vendas, segundo uma fonte a par da situação disse em agosto. Esteves confirmou o cancelamento da linha de crédito.
Esteves disse estar apostando em ganhos nos bônus de alta qualidade, em dólar, de empresas de países emergentes, como os títulos de Itaú Unibanco Holding, Bradesco, BTG, Caixa Econômica Federal e Petrobras. O executivo disse ser improvável que a Petrobras, maior produtora de petróleo em águas profundas, vá emitir mais bônus ainda neste ano, depois de sua venda recorde realizada em maio. A Petrobras levantou US$ 11 bilhões com colocação.
"Toda a volatilidade dos últimos dois meses trouxe algumas oportunidades interessantes", afirmou Esteves. "Do ponto de vista do investidor, acho que é hora de desenvolver portfólios. Grandes empresas e bancos, grau de investimento, acho que estão oferecendo rendimentos muito bons, tanto na Rússia como no Brasil", disse.
O rendimento médio dos títulos de empresas de países emergentes subiu 113 pontos-base, ou 1,13 ponto percentual, para 6,09% desde 22 de maio, quando o presidente do Federal Reserve (Fed, autoridade monetária dos Estados Unidos), Ben Bernanke, sinalizou que a instituição poderia reduzir as compras mensais de US$ 85 bilhões em ativos neste ano e extingui-las em 2014.

O banco BTG Pactual, fundado pelo bilionário André Esteves, estuda investimentos conjuntos na América Latina com o parceiro VTB Group, de Moscou, ou com seus clientes russos.

"Há planos sérios", disse Esteves, presidente do conselho da instituição, em entrevista em fórum ontem, em Moscou, citando leilões de campos de petróleo no Brasil e produtores de petróleo bruto em busca de investidores. "É sempre bom para grandes empresas russas chegar à América Latina aliadas a algum participante local".

O VTB Group, segunda maior instituição de crédito da Rússia, formou aliança com o BTG em junho de 2012, depois de ter investido na oferta pública inicial de ações do banco brasileiro, e o BTG, então, comprou ações quando o VTB levantou US$ 3,3 bilhões em maio, segundo Esteves. Os leilões de campos de petróleo e gás no Brasil "poderiam ser uma boa oportunidade" para empresas russas estatais, como a OAO Rosneft ou OAO Gazprom, disse Esteves.

"Vemos muitas similaridades e oportunidades entre a Rússia com Leste Europeu e o Brasil com a América Latina", disse Esteves. "Essa é a ideia - atravessar essa ponte entre todos os tipos de oportunidades de investimento e assessorar empresas russas e do Leste Europeu na América Latina, e companhias latino-americanas na Rússia".

Um investimento direto da BTG em vendas de ativos estatais russos é "possível", de acordo com o executivo.

O banco quase concluiu a reestruturação empresarial das companhias do ex-bilionário brasileiro Eike Batista, ajudando-as a vender ativos e encontrar investidores, segundo Esteves. "Promovemos alguma reestruturação empresarial do grupo e estamos passando ao estágio final disso", disse Esteves.

A OGX Petróleo & Gás Participações SA, principal produtora de petróleo de Batista, deixou de honrar pagamentos referentes a bônus na terça-feira, o que levou a Standard & Poor's a conferir a nota de crédito mais baixa, no nível de inadimplente, para a empresa e os bônus. O patrimônio de Batista diminuiu em mais de US$ 30 bilhões desde o início de 2012, em meio à perda de confiança dos investidores em suas empresas interligadas de recursos naturais e logística, depois de não atingir metas de produção, de atrasos em projetos e do aumento no endividamento.

Batista e o BTG, cuja sede fica em São Paulo, anunciaram acordo em 6 de março para que o banco fornecesse a suas empresas serviços de assessoria financeira, crédito e investimentos futuros de longo prazo em projetos. Deste então, o BTG cancelou a linha de crédito e encolheu o alcance do acordo, mas vai continuar a assessorar Batista nas vendas, segundo uma fonte a par da situação disse em agosto. Esteves confirmou o cancelamento da linha de crédito.

Esteves disse estar apostando em ganhos nos bônus de alta qualidade, em dólar, de empresas de países emergentes, como os títulos de Itaú Unibanco Holding, Bradesco, BTG, Caixa Econômica Federal e Petrobras. O executivo disse ser improvável que a Petrobras, maior produtora de petróleo em águas profundas, vá emitir mais bônus ainda neste ano, depois de sua venda recorde realizada em maio. A Petrobras levantou US$ 11 bilhões com colocação.

"Toda a volatilidade dos últimos dois meses trouxe algumas oportunidades interessantes", afirmou Esteves. "Do ponto de vista do investidor, acho que é hora de desenvolver portfólios. Grandes empresas e bancos, grau de investimento, acho que estão oferecendo rendimentos muito bons, tanto na Rússia como no Brasil", disse.

O rendimento médio dos títulos de empresas de países emergentes subiu 113 pontos-base, ou 1,13 ponto percentual, para 6,09% desde 22 de maio, quando o presidente do Federal Reserve (Fed, autoridade monetária dos Estados Unidos), Ben Bernanke, sinalizou que a instituição poderia reduzir as compras mensais de US$ 85 bilhões em ativos neste ano e extingui-las em 2014.

 



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar