acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petroquímica

Braskem anuncia plano de incentivo à competitividade da cadeia do plástico

18/09/2013 | 14h47

 

 
BRASKEM ANUNCIA PLANO DE INCENTIVO À COMPETITIVIDADE DA CADEIA DO PLÁSTICO
 
Objetivo é contribuir com o fortalecimento da indústria química nacional, estimulando a competitividade da terceira geração
 
São Paulo, 18 de setembro de 2013 – A Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, anuncia o lançamento de um plano para estimular o fortalecimento da cadeia transformadora do plástico no Brasil. O Plano de Incentivo à Cadeia (PIC) do Plástico prevê uma série de iniciativas para incentivar a competitividade de seus clientes, que inclui investimentos para ampliar o aumento de exportações de produtos transformados, estímulos à inovação e o reforço na qualificação profissional e na gestão empresarial. O plano também prevê a promoção das vantagens plástico, cujos detalhes serão elaborados em conjunto entre a Braskem e representantes da cadeia do plástico.
 
Estimulada pela Lei 12.859, sancionada pela presidente Dilma Rousseff e aprovada pelo Congresso Nacional, que estabeleceu a desoneração tributária na compra de matérias-primas para a primeira e segunda gerações da indústria química brasileira, a Braskem considera fundamental o reforço às empresas da terceira geração, responsáveis pela transformação plástica, setor fundamental para o desenvolvimento da economia com geração de riqueza e empregos, responsável por mais de 340 mil empregos.
 
As ações passam por viabilizar o aumento das exportações de transformados por meio de condições diferenciadas para a aquisição de resinas a serem utilizadas em aplicações destinadas ao mercado internacional. A meta é que o plano de incentivo contribua para dobrar o volume da exportação brasileira de transformados das resinas de polietileno e polipropileno em dois anos. Em 2012, o volume brasileiro de exportação de plásticos transformados alcançou o volume  238 mil toneladas.
 
Outra dimensão do plano tem como eixo o apoio da Braskem ao aumento da competitividade do setor através de iniciativas de capacitação, formação de mão de obra, realização de palestras técnicas e acesso à assessoria especializada. Em outra frente, a empresa pretende estimular o crescimento do mercado fomentando também a inovação por meio do investimento conjunto em consultorias, programas de capacitação e estímulo à inovação, além de patrocínios a eventos setoriais.
 
Segundo o vice-presidente da área de Poliolefinas e Renováveis da Braskem, Luciano Guidolin, o objetivo da companhia é fortalecer a cadeia como um todo, aumentando sua competitividade nos mercados local e internacional. “Queremos que a indústria química brasileira esteja mais preparada para concorrer em igualdade de condições em todos os mercados, bem como a reduzir o desequilíbrio da balança comercial do setor, o que nos estimulou a desenvolver um programa abrangente que combina vantagens comerciais, capacitação e inovação”, destaca o executivo.
 
O plano prevê ainda esforços na promoção e valorização das vantagens do plástico, como solução sustentável para as necessidades da sociedade atual. Nessa linha, vai trabalhar com programas de reciclagem, Avaliações de Ciclo de Vida, posicionamento frente à Política Nacional de Resíduos Sólidos, suporte às associações comprometidas com o tema, comunicação e criação de Fundo Setorial para a Promoção do Plástico. Para viabilizar a execução do Plano de Incentivo à Competitividade da Cadeia do Plástico, a Braskem vai intensificar e formalizar parcerias com clientes, associações do setor, entidades de fomento, federações da indústria, BNDES e ONGs. 

A Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, anunciou hoje (18) o lançamento de um plano para estimular o fortalecimento da cadeia transformadora do plástico no Brasil. O Plano de Incentivo à Cadeia (PIC) do Plástico prevê uma série de iniciativas para incentivar a competitividade de seus clientes, que inclui investimentos para ampliar o aumento de exportações de produtos transformados, estímulos à inovação e o reforço na qualificação profissional e na gestão empresarial. O plano também prevê a promoção das vantagens plástico, cujos detalhes serão elaborados em conjunto entre a Braskem e representantes da cadeia do plástico.

 

Estimulada pela Lei 12.859, sancionada pela presidente Dilma Rousseff e aprovada pelo Congresso Nacional, que estabeleceu a desoneração tributária na compra de matérias-primas para a primeira e segunda gerações da indústria química brasileira, a Braskem considera fundamental o reforço às empresas da terceira geração, responsáveis pela transformação plástica, setor fundamental para o desenvolvimento da economia com geração de riqueza e empregos, responsável por mais de 340 mil empregos.

 

As ações passam por viabilizar o aumento das exportações de transformados por meio de condições diferenciadas para a aquisição de resinas a serem utilizadas em aplicações destinadas ao mercado internacional. A meta é que o plano de incentivo contribua para dobrar o volume da exportação brasileira de transformados das resinas de polietileno e polipropileno em dois anos. Em 2012, o volume brasileiro de exportação de plásticos transformados alcançou o volume  238 mil toneladas.

 

Outra dimensão do plano tem como eixo o apoio da Braskem ao aumento da competitividade do setor através de iniciativas de capacitação, formação de mão de obra, realização de palestras técnicas e acesso à assessoria especializada. Em outra frente, a empresa pretende estimular o crescimento do mercado fomentando também a inovação por meio do investimento conjunto em consultorias, programas de capacitação e estímulo à inovação, além de patrocínios a eventos setoriais.

 

Segundo o vice-presidente da área de Poliolefinas e Renováveis da Braskem, Luciano Guidolin, o objetivo da companhia é fortalecer a cadeia como um todo, aumentando sua competitividade nos mercados local e internacional. “Queremos que a indústria química brasileira esteja mais preparada para concorrer em igualdade de condições em todos os mercados, bem como a reduzir o desequilíbrio da balança comercial do setor, o que nos estimulou a desenvolver um programa abrangente que combina vantagens comerciais, capacitação e inovação”, destaca o executivo.

 

O plano prevê ainda esforços na promoção e valorização das vantagens do plástico, como solução sustentável para as necessidades da sociedade atual. Nessa linha, vai trabalhar com programas de reciclagem, Avaliações de Ciclo de Vida, posicionamento frente à Política Nacional de Resíduos Sólidos, suporte às associações comprometidas com o tema, comunicação e criação de Fundo Setorial para a Promoção do Plástico. Para viabilizar a execução do Plano de Incentivo à Competitividade da Cadeia do Plástico, a Braskem vai intensificar e formalizar parcerias com clientes, associações do setor, entidades de fomento, federações da indústria, BNDES e ONGs. 



Fonte: Redação TN/ Ascom Braskem
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar