acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

Brasil e Argentina querem resolver problemas comerciais em até quatro meses

15/05/2012 | 17h58
Os problemas comerciais entre o Brasil e a Argentina devem ser resolvidos em até 120 dias. O prazo foi estabelecido nesta terça-feira (15) durante reunião entre os ministros das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, e da Argentina, Héctor Timerman. Segundo Patriota, a partir da primeira semana de junho serão retomadas as reuniões regulares da Comissão de Monitoramento de Comércio Bilateral e do Comitê Automotivo. “Foi firmado um compromisso de examinarmos com cuidado os pleitos argentinos e a Argentina examinar com cuidado os pleitos brasileiros”, disse.

Entre as reivindicações argentinas estão a facilitação do acesso ao mercado brasileiro de uvas, uva passa, camarão, frutas cítricas e medicamentos. Já o Brasil espera eliminar as barreiras para a exportação de carne suína. “A ideia é ajudar a reduzir o deficit comercial que a Argentina tem com o Brasil. Existem muitos produtos que o Brasil poderia importar da Argentina de forma conveniente”, ressaltou Timerman.

Desde o início do ano, o governo argentino tem adotado medidas para dificultar a importação de produtos brasileiros. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as exportações brasileiras para a Argentina caíram 27,1% em abril em relação ao mesmo período do ano passado.

Em contrapartida, o governo brasileiro aumentou a lista de produtos argentinos perecíveis que vão passar pelo regime de licenciamento não automático, e podem ficar retidos por até 60 dias antes de entrar no país.

O ministro argentino defendeu que os dois países enfrentem juntos o cenário de dificuldades na economia internacional. Ele garantiu que os problemas de importação de carne de porco serão resolvidos em poucos dias, como forma de demonstrar a decisão política de resolver todos os problemas comerciais entre os dois países. “Quando há uma decisão política de resolver um tema econômico, ele pode ser resolvido”.

No entanto, o ministro de Comércio Interior da Argentina, Guillermo Moreno, condicionou o fim das cotas impostas à carne suína brasileira à liberação da entrada de produtos argentinos no Brasil. “O importante é incrementar o comércio entre os dois países. Na medida em que isso se manifesta, com a diminuição do déficit da Argentina, o tema das carnes suínas, que preocupa a muitos produtores, sumiu, desapareceu”, disse.

Ao sair da reunião, o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, não quis comentar os problemas comerciais com a Argentina, apenas ironizou. “Não foram eles que pediram 'uno por uno'?”, referindo-se a um modelo de comércio argentino que prevê a compensação das importações de uma empresa com suas exportações.


Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar