acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Biodiesel

Biodiesel valoriza a produção agrícola, diz presidente Aprobio Erasmo Battistella

05/07/2016 | 12h27

O presidente da Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (APROBIO), Erasmo Carlos Battistella, afirmou que o biodiesel valoriza toda a cadeia produtiva da soja e, principalmente, o agricultor brasileiro. A firmação foi feita em palestra sobre o desenvolvimento dos biocombustíveis no Brasil ministrada durante Global Agribusiness Forum 2016, evento que ocorre entre os dias 4 e 5 de julho no Grand Hyatt São Paulo e conta com a presença de lideranças do agronegócio no Brasil, além do presidente interino Michel Temer, do governador do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin e dos ministros da Agricultura, Blairo Maggi, de Minas e Energia, Fernando Bezerra, e das Relações Exteriores, José Serra.

"O agricultor brasileiro foi o grande beneficiado com a valorização do biodiesel, quando antes apenas o farelo de soja tinha valor. Na inclusão social, em torno 40% dos grãos vêm da agricultura familiar, beneficiando anualmente cerca de 100 mil famílias", colocou Erasmo Battistella.

Mas ante a apresentação dos dados positivos, o presidente da APROBIO explicou que ainda é preciso investir mais no setor para ampliar as demandas. "Hoje produzimos 4,1 bilhões de litros de biodiesel, 60% da nossa capacidade. A maioria da nossa produção de soja é exportada em grãos, quando poderia ser trabalhada aqui. Assim cresceremos no setor globalmente, com potencial de exportar um produto com valor agregado", avaliou.

O empresário também ressaltou a necessidade do cumprimento da legislação brasileira, que prevê o aumento gradual de biodiesel ao diesel, para que o setor cresça ainda mais. Hoje o combustível renovável participa com apenas 7% na mistura.

"Não é só uma questão de valorização do agricultor, mas de saúde pública. Estudos da USP, ministrados pelo professor Paulo Saldiva, mostram que 20% de biodiesel a mais nos automóveis movidos a diesel representariam 13 mil vidas poupadas por doenças relacionadas a qualidade do ar apenas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro até 2025. Em outras palavras, o biodiesel só tem aspectos positivos para o desenvolvimento do País", finalizou Erasmo.



Fonte: Assessoria/Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar