acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Bio Energias projeta volume de vendas de R$ 400 milhões

04/09/2012 | 17h23

 

A Bio Energias, comercializadora independente de eletricidade, pretende faturar R$ 400 milhões com a venda de 360 megawatts médios (MW/m) no mercado livre de energia limpa até o fim de 2013. A estratégia é aumentar, para pelo menos 80%, os contratos de longo prazo no portfólio da companhia, propiciando um brutal aumento da rentabilidade das operações.
Desde 2009, o volume de vendas da Bio Energias quintuplicou, fazendo com que a empresa chegasse entre os 10 maiores comercializadores de energia do Brasil. A estratégia da empresa para aumentar seu faturamento nos próximos 18 meses é passar a focar as empresas de médio porte, um mercado de 11 mil indústrias e centros comerciais por todo o país, já aptos a se beneficiarem do mercado livre de energia.
Grande parte dos empresários industriais ainda não sabe que pode reduzir até 20% dos seus custos na conta de luz ao aderir ao mercado livre de energia”, explica Felipe Barroso, presidente da Bio Energias. “Com o surgimento da figura do comercializador varejista, simplificou-se a burocracia, o que vai facilitar a adesão dessas companhias e aumentar a sua competitividade”, complementa.
O mercado livre de energia é responsável por 27% de toda energia consumida no Brasil, com um giro de negócios da ordem de R$ 20 bilhões por ano. Estima-se que nos seus últimos cinco anos de atuação, esse modelo tenha ajudado a indústria brasileira a economizar R$ 25 bilhões nas contas de luz. Para ser um consumidor livre, a indústria precisa ter uma demanda mínima de 0,5 MW ou 500 kW.

A Bio Energias, comercializadora independente de eletricidade, pretende faturar R$ 400 milhões com a venda de 360 megawatts médios (MW/m) no mercado livre de energia limpa até o fim de 2013. A estratégia é aumentar, para pelo menos 80%, os contratos de longo prazo no portfólio da companhia, propiciando um brutal aumento da rentabilidade das operações.


Desde 2009, o volume de vendas da Bio Energias quintuplicou, fazendo com que a empresa chegasse entre os 10 maiores comercializadores de energia do Brasil. A estratégia da empresa para aumentar seu faturamento nos próximos 18 meses é passar a focar as empresas de médio porte, um mercado de 11 mil indústrias e centros comerciais por todo o país, já aptos a se beneficiarem do mercado livre de energia.


Grande parte dos empresários industriais ainda não sabe que pode reduzir até 20% dos seus custos na conta de luz ao aderir ao mercado livre de energia”, explica Felipe Barroso, presidente da Bio Energias.

“Com o surgimento da figura do comercializador varejista, simplificou-se a burocracia, o que vai facilitar a adesão dessas companhias e aumentar a sua competitividade”, complementa.


O mercado livre de energia é responsável por 27% de toda energia consumida no Brasil, com um giro de negócios da ordem de R$ 20 bilhões por ano. Estima-se que nos seus últimos cinco anos de atuação, esse modelo tenha ajudado a indústria brasileira a economizar R$ 25 bilhões nas contas de luz. Para ser um consumidor livre, a indústria precisa ter uma demanda mínima de 0,5 MW ou 500 kW.

 



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar