acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Meio ambiente

Bampetro será auto-suficiente

14/10/2005 | 00h00

O Banco de Dados Ambientais para a Indústria do Petróleo (Bampetro) faz o lançamento oficial, nesta sexta-feira (14/10), de sua política de auto-sustentabilidade para a continuidade da operação de seus serviços. O Bampetro reúne informações ambientais sobre as bacias petrolíferas terrestres e marinhas e tem o objetivo de oferecer às empresas petrolíferas o acesso a estes dados para a formulação de estudos ambientais, entre outras utilidades.

O projeto do Bampetro foi uma iniciativa da Rede de Ciência e Tecnologia Petrolífero do Estado do Rio de Janeiro (Redepetro), financiado com recursos da Finep por meio do fundo setorial CT-Petro.

"Nesta segunda fase, o banco deverá financiar sua própria operação através de contratos com empresas e entidades que utilizem seus serviços", explica a gerente de qualidade de informação do Bampetro, Gilda Esteves.

As primeiras empresas a assinarem o termo de uso do Bampetro são as mesmas oito que já assinaram um protocolo de intenções, onde foi estabelecido um desconto para a utilização dos dados. As empresas são a CGG do Brasil, Chevron, Devon, El Paso, HRT High Resolution, Maersk Oil, PGS e Veritas.

O termo de uso do Bampetro é um documento que define as regras e os custos para a associação de usuários cadastrados que terão acesso direto ao banco de dados com autorização para consulta e downloads de dados. Toda a estrutura do banco de dados Bampetro poderá também ser utilizada para armazenamento de dados proprietários. A página do Bampetro é <www.bampetro.com>.

Além dessas iniciativas, acordos de cooperação técnico-cientifica estão sendo assinados com o IBAMA, inicialmente com o ELPN- Escritório de Licenciamento das atividades de Petróleo e Nuclear (Rio de Janeiro) e com o Centro de Sensoriamento Remoto (CSR) sediado em Brasília. "Em ambos os convênios, o principal objetivo é a utilização da estrutura do Bampetro para consulta e armazenamento de novas informações de interesse do IBAMA e da utilização do Portal Bampetro para divulgação dos estudos ambientais que atualmente estão sob a guarda do IBAMA", explica Gilda Esteves. O modelo proposto assemelha-se ao modelo utilizado pelo BDEP – Banco de dados de exploração e produção da ANP.

Para a obtenção da nova condição de auto-sustentabilidade, o Bampetro fez uma parceria com a empresa Stratageo, que fez toda a promoção do banco junto a as empresas operadoras e de serviços. O Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP) também ofereceu apoio, cedendo as instalações do IBP para realização das reuniões, durante as quais foram discutidas políticas de acesso, cópia e manuseio dos dados.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar