acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
FPSO

Após integração de módulos em estaleiro no Rio o FPSO Cidade de Saquarema parte para o campo de Lula

23/05/2016 | 11h06
Após integração de módulos em estaleiro no Rio o FPSO Cidade de Saquarema parte para o campo de Lula
Cortesia SBM Offshore Cortesia SBM Offshore

O FPSO Cidade de Saquarema deixou o cais do Estaleiro Brasa e está se dirigindo para alto mar após um tempo recorde para a sua integração de módulos. Em pouco mais de quatro meses (desde o primeiro içamento até a partida do cais), a experiência adquirida com a uniformização e repetibilidade da fórmula comprovada na embarcação gêmea Cidade de Maricá - que alcançou o primeiro óleo em fevereiro - está agora adquirindo bons resultados com um ganho no cronograma.

Tendo chegado ao Estaleiro Brasa em meados de dezembro de 2015, o Cidade de Saquarema está destinado ao campo de Lula para dar início ao contrato de 20 anos de concessão e operação. Após a bem-sucedida fase de EPC, a equipe do projeto agora entrega a embarcação às equipes de instalação e operações da SBM Offshore. Com o primeiro óleo do Cidade de Saquarema, a frota brasileira operada pela SBM Offshore chega a um total de sete FPSOs, com uma capacidade total de 870.000 bpd.

Dados do FPSO Cidade de Saquarema:

· Processamento de petróleo: 150 mil barris/dia;

· Tratamento e compressão de gás: 6 milhões m³/dia;

· Tratamento de água de injeção: 200 mil barris/dia;

· Capacidade de armazenamento: 1,6 milhão de barris de óleo;

· Profundidade de água: 2120 metros;

· Comprimento total: 346,5 metros;

· Boca: 58 metros;

· Pontal (altura): 32,6 metros.

"Este último marco representa uma enorme conquista para a SBM Offshore no país. Estamos presentes no Brasil desde 1997, cujo mercado é muito importante e com o qual estamos totalmente comprometidos. Atualmente, as unidades concebidas e/ou pertencentes à SBM Offshore são responsáveis por aproximadamente 20% da produção de petróleo do país. O grupo e seus parceiros têm investido no desenvolvimento do BRASA para construir e integrar módulos dos FPSOs e na formação da força de trabalho nacional, tanto no estaleiro como no escritório do Rio e nas bases onshore. Estamos muito bem posicionados para atender a demanda futura e acomodar exigências de conteúdo local. Após o bem-sucedido start-up das operações de produção da SBM Offshore, estamos ansiosos para operar Saquarema durante os próximos 20 anos", diz Oliver Kassam, Diretor da SBM Offshore no Brasil.

FPSO Cidade de Maricá e FPSO Cidade de Saquarema

Os FPSOs foram convertidos em paralelo e ambos são destinados a operações no campo de Lula, no pré-sal brasileiro. O bloco BM-S-11 está sob concessão de um consórcio formado pela Petrobras (65%), BGE & P Brasil Ltda. (25%) e Petrogal Brasil S.A. (10%). O contrato da SBM Offshore com a BM-S-11, subsidiária da Tupi BV, é de 20 anos para afretamento e operação dos dois FPSOs.

Os FPSOs pertencem e são operados por uma joint venture entre SBM Offshore (56%), Mitsubishi Corporation (20%), Nippon Yusen Kabushiki Kaisha (19%) e Queiroz Galvão Óleo e Gás S.A. (5%).

A capacidade de processamento dos dois navios é de 150 mil barris de petróleo por dia. Os FPSOs gêmeos se beneficiaram da experiência tecnológica que a SBM Offshore adquiriu durante o projeto, conversão e experiência operacional dos dois primeiros FPSOs do pré-sal, Cidade de Ilhabela e Cidade de Paraty, ambos operando na costa do Brasil.

Os projetos dos FPSOs geraram impactos econômicos significativos, direta e indiretamente, para o estado do Rio de Janeiro, em particular para Niterói.

Até hoje o estaleiro BRASA entregou com sucesso os módulos de três FPSOs e gerou um ganho econômico substancial e oportunidades para o país, com cargos de alta qualificação diretos e indiretos que excedem 30.000 postos de trabalho.

Estaleiro Brasa

Desenvolvido por uma parceria 50/50 entre a SBM Offshore e a Synergy Energy, o estaleiro de fabricação Brasa está em operação desde 2012 quando teve início a construção dos módulos do FPSO Cidade de Ilhabela. O estaleiro foi construído em Niterói, do outro lado da baía e do centro do Rio, dedicado às necessidades da SBM Offshore enquanto serve ainda à indústria brasileira de óleo de gás em geral.

O Brasa é um estaleiro de fabricação de ponta, com profissionais brasileiros altamente qualificados e que representa uma parte importante da estratégia de desenvolvimento sustentável da SBM Offshore no Brasil. A capacidade do estaleiro e trabalhadores qualificados são o resultado de um grande investimento ao longo dos últimos cinco anos pela SBM Offshore e seu parceiro.



Fonte: Assessoria/Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar