acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Internacional

Alemanha aposta em energia nuclear

06/09/2010 | 09h30
O governo da primeira-ministra da Alemanha, a conservadora Angela Merkel, concordou ontem em estender o prazo de vida útil de dezessete usinas nucleares do país. Em troca, as empresas proprietárias desses usinas vão contribuir para um fundo que financiará projetos de energias alternativas.
 

A decisão reverte uma política de fechamento antecipado dessas usinas, adotada pelo governo alemão anterior, do social-democrata Gerhard Schröder.
 

Sete dessas centrais nucleares, construídas antes de 1980, poderão funcionar por oito anos a mais do que estava previsto. As demais dez usinas, mais novas, vão ganhar 14 anos a mais de operação. Isso significa um extensão de média de 12 anos em relação à data de fechamento das usinas, que deveria ser em 2022.
 

A decisão deve impulsionar as ações da E.ON, a maior geradora de energia nuclear da Alemanha, e da RWE, que caíram 21% este ano.
 

Na semana passada, o governo alemão já antecipara que as quatro empresas geradoras de energia nuclear no país -E.ON, RWE, EnBW e Vattenfall - pagariam uma taxa avaliada em € 2,3 bilhões a partir do próximo ano. Isso fez crescer os rumores de um acordo quanto à extensão da vida útil das usinas nucleares.
 

Além disso, as empresas pagarão ainda uma contribuição de € 300 milhões, em 2011 e 2012, que caíra para € 200 milhões nos anos seguintes, para financiar um fundo de investimento em projetos de energia renovável.
 

A decisão fará com que a dependência alemã de energia importada, principalmente do gás da Rússia, não aumente significativamente. A aposta alemã na energia nuclear deve influenciar outros países europeus.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar