acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Evento

Seis equipes brasileiras vão competir na Shell Eco-marathon Americas

15/04/2016 | 12h58

Seis times de cinco universidades brasileiras estão de malas prontas para Detroit, nos Estados Unidos, onde vão participar da 10ª edição da Shell Eco-marathon Americas (SEMA), entre os dias 22 e 24 de abril. Organizada pela Shell, a competição é uma disputa acadêmica de eficiência energética, em que o objetivo é construir um veículo para percorrer a maior distância utilizando a menor quantidade de energia possível.

Completando uma década de existência, esta edição vai reunir 128 equipes de diversos países das Américas, divididas em sete categorias: “Bateria Elétrica”, “GTL”, “Diesel”, “Hidrogênio”, “CNG”, “Etanol” e “Gás”. O Brasil será representado por estudantes de cursos de Engenharia e outras especializações da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Universidade Presbiteriana Mackenzie e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

O desafio destes futuros cientistas e engenheiros é o mesmo: bater o atual recorde da competição, que é de cerca de 1.250 quilômetros percorridos com um único litro de gasolina, o equivalente a distância entre Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA).

O recorde brasileiro

A equipe Pato a Jato, formada por alunos da UTFPR, obteve a melhor colocação do país na história do evento: segundo lugar na categoria “Combustíveis Alternativos”. Com o protótipo chamado Popygua, o time percorreu 316 quilômetros com um só litro de etanol em sua estreia em competições internacionais. O capitão, Matheus Rizzi, conta que após a participação na última edição, algumas mudanças foram realizadas no protótipo para mais uma disputa nos Estados Unidos.

“Aprendemos bastante com o que vimos em Detroit. Vamos para competir, aumentar nossa média e manter nosso bom desempenho. Queremos deixar o nome da universidade marcado na história da disputa”, declara Rizzi.

Foco no pódio

A equipe da UNIFEI já é veterana na SEMA e, este ano, vai para sua 5ª participação, pela primeira vez competindo em duas categorias: “Bateria Elétrica” e “Etanol”. O capitão da equipe, Lucas Treméa, diz que eles estão apreensivos, principalmente na categoria “Etanol”. “Estamos indo para brigar pelo pódio com nosso protótipo movido a bateria elétrica, mas não sabemos o que esperar da disputa com o etanol”, comentou.

Quem está confiante é a equipe da UFSC. Em 2015, os alunos foram reconhecidos por terem o protótipo mais leve das Américas. “Nossa meta é conseguir ficar abaixo dos 23kg”, afirma Samuel Bassini, capitão da EFICEM. “A competição é muito bacana e há uma grande interação entre estudantes de todos os países”, completa.

A Shell Eco-marathon também não é novidade para os alunos da Mackenzie, que estiveram em Detroit no ano passado e levaram o “Prêmio Perseverança” por terem trabalhado duro para conseguir deixar o carro pronto para a corrida após enfrentarem problemas com o transporte do protótipo até a competição.

Há uma estreia na edição deste ano, a da equipe Feng Eco Racing, da PUCRS. A aposta deles é em um time interdisciplinar, que contou com a ajuda de estudantes de Física, Nutrição e Comunicação, por exemplo. “Nessa primeira participação nossa intenção é coletar dados para voltarmos mais fortes nos próximos anos, mas estamos bastante ansiosos pela estreia”, explica o capitão Anderson Antunes.

 



Fonte: Assessoria/Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar