acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Ceará

Proposta de R$ 85 mi para térmicas

25/10/2013 | 14h50

 

Única empresa habilitada no processo licitatório do governo estadual, a Orteng Equipamentos e Sistemas S/A apresentou um valor de R$ 85,09 milhões para instalar, operar e manter duas usinas termelétricas e fornecer a energia elétrica produzida para as tuneladoras que irão realizar as obras da Linha Leste do Metrô de Fortaleza. De acordo com a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), o estado pretende, após a instalação da linha, usar as térmicas construídas como "backup" do sistema metroviário da nova malha.
"Essa foi a opção encontrada para evitar a sobrecarga do sistema energético de Fortaleza", esclareceu a secretaria, por meio de sua assessoria de imprensa. As usinas pertencerão ao estado e serão adquiridas com recursos orçamentários do governo estadual, conforme indicava o edital da licitação, lançado ainda em maio passado.
Prazo e localização
De acordo com a Seinfra, será instalada uma térmica no Centro da cidade, no pátio de manobra dos trens, e outra nas proximidades do terminal de ônibus do Papicu. Elas terão capacidade instalada de 6,75 megawatts cada, e usarão como matriz energética o óleo diesel.
O valor apresentado pela Orteng é inferior em R$ 8,79 milhões ao apresentado no edital, que apresentava o montante de R$ 93,88 milhões como orçamento máximo a ser investido pelo governo no objeto da licitação. O resultado foi encaminhado à Seinfra, que, no momento, está realizando a análise para aprovação ou não da proposta da empresa vencedora.
A previsão é de que as obras de instalação das termelérticas sejam iniciadas em cinco meses, prazo sujeito a alterações, uma vez que o processo licitatório ainda não foi concluído. O prazo para a conclusão dos serviços é de 18 meses, após anunciada a ordem de serviço.
Recursos
O resultado da fase de habilitação de empresa foi divulgado essa semana no Diário Oficial do Estado. A Comissão Central de Concorrências (CCC), da Procuradoria Geral do Estado (PGE), acatou o recurso interposto pela concorrente habilitada e negou os demais apresentados pelos consórcios Heimer/JPW (formado pelas empresas Leon Heimer S.A. e JPW Engenharia Elétrica LTDA) e Normatel/DN (das empresas Normatel Engenharia LTDA e DN Empreendimentos Imobiliários LTDA).
As térmicas abastecerão quatro tuneladoras (também conhecidas como "tatuzões"), com 6,92 metros de diâmetro de escavação e velocidade de avanço de 80 milímetros por minuto. Duas das quatro máquinas já se encontram em Fortaleza e as demais estão em processo final de fabricação em Shangai, na China. O valor total desses equipamentos foi de R$ 128,2 milhões.
O governo estadual assinou no último dia 11, o contrato para a execução das obras da Linha Leste, que configura-se como o maior investimento público já feito no estado, somando 2,25 milhões. O consórcio vencedor da licitação foi o Cetenco-Acciona - formado pelas empresas Cetenco Engenharia e Acciona Infraestructuras. O governo espera a liberação da Licença de Instalação da linha pela Superintendência Estadual de Meio Ambiente (Semace) para dar a ordem de serviço para as obras. O órgão informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o processo do licenciamento ainda está em análise.
Completamente subterrânea, a Linha Leste do Metrô de Fortaleza terá um traçado de 12,4 quilômetros de extensão, pelo qual fará a ligação entre o Centro, partindo da estação Chico da Silva, até o Fórum Clovis Bevilaqua, no bairro Edson Queiroz.

Única empresa habilitada no processo licitatório do governo estadual, a Orteng Equipamentos e Sistemas S/A apresentou um valor de R$ 85,09 milhões para instalar, operar e manter duas usinas termelétricas e fornecer a energia elétrica produzida para as tuneladoras que irão realizar as obras da Linha Leste do Metrô de Fortaleza. De acordo com a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), o estado pretende, após a instalação da linha, usar as térmicas construídas como "backup" do sistema metroviário da nova malha.

"Essa foi a opção encontrada para evitar a sobrecarga do sistema energético de Fortaleza", esclareceu a secretaria, por meio de sua assessoria de imprensa. As usinas pertencerão ao estado e serão adquiridas com recursos orçamentários do governo estadual, conforme indicava o edital da licitação, lançado ainda em maio passado.


Prazo e localização

De acordo com a Seinfra, será instalada uma térmica no Centro da cidade, no pátio de manobra dos trens, e outra nas proximidades do terminal de ônibus do Papicu. Elas terão capacidade instalada de 6,75 megawatts cada, e usarão como matriz energética o óleo diesel.

O valor apresentado pela Orteng é inferior em R$ 8,79 milhões ao apresentado no edital, que apresentava o montante de R$ 93,88 milhões como orçamento máximo a ser investido pelo governo no objeto da licitação. O resultado foi encaminhado à Seinfra, que, no momento, está realizando a análise para aprovação ou não da proposta da empresa vencedora.

A previsão é de que as obras de instalação das termelérticas sejam iniciadas em cinco meses, prazo sujeito a alterações, uma vez que o processo licitatório ainda não foi concluído. O prazo para a conclusão dos serviços é de 18 meses, após anunciada a ordem de serviço.


Recursos

O resultado da fase de habilitação de empresa foi divulgado essa semana no Diário Oficial do Estado. A Comissão Central de Concorrências (CCC), da Procuradoria Geral do Estado (PGE), acatou o recurso interposto pela concorrente habilitada e negou os demais apresentados pelos consórcios Heimer/JPW (formado pelas empresas Leon Heimer S.A. e JPW Engenharia Elétrica LTDA) e Normatel/DN (das empresas Normatel Engenharia LTDA e DN Empreendimentos Imobiliários LTDA).

As térmicas abastecerão quatro tuneladoras (também conhecidas como "tatuzões"), com 6,92 metros de diâmetro de escavação e velocidade de avanço de 80 milímetros por minuto. Duas das quatro máquinas já se encontram em Fortaleza e as demais estão em processo final de fabricação em Shangai, na China. O valor total desses equipamentos foi de R$ 128,2 milhões.

O governo estadual assinou no último dia 11, o contrato para a execução das obras da Linha Leste, que configura-se como o maior investimento público já feito no estado, somando 2,25 milhões. O consórcio vencedor da licitação foi o Cetenco-Acciona - formado pelas empresas Cetenco Engenharia e Acciona Infraestructuras. O governo espera a liberação da Licença de Instalação da linha pela Superintendência Estadual de Meio Ambiente (Semace) para dar a ordem de serviço para as obras. O órgão informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o processo do licenciamento ainda está em análise.

Completamente subterrânea, a Linha Leste do Metrô de Fortaleza terá um traçado de 12,4 quilômetros de extensão, pelo qual fará a ligação entre o Centro, partindo da estação Chico da Silva, até o Fórum Clovis Bevilaqua, no bairro Edson Queiroz.

 



Fonte: Diário do Nordeste
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar