acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Opinião

Produção industrial deve continuar em queda nos próximos meses, diz professor da FGV

03/05/2012 | 14h18
De acordo com o coordenador do CEMAP-EESP-FGV e professor da Escola de Economia da FGV-SP, Emerson Marçal, a queda industrial, anunciada nesta quinta-feira (3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), está dentro do previsto. “A demanda começou a cair, ou seja, os consumidores passaram a gastar menos e a apreciação do câmbio, que provocou uma maior concorrência com os produtos importados, foram os principais motivos que desencadearam essa queda”.

Para os próximos meses, a tendência é que a queda de produção se mantenha. “Os efeitos dos cortes de juros realizados pelo Banco Central podem ser positivos sobre a atividade ao longo do ano. Enquanto isto não ocorrer, a produção industrial pode continuar caindo. Alguns setores industriais podem reduzir ritmo de contratações ou até mesmo demitirem”.

Vale ressaltar que esse resultado negativo não deve afetar o resultado do PIB. “A indústria contribui com uma parte pequena do PIB, por isso, o resultado agregado sofre influencia pequena da indústria e o PIB deve apresentar um crescimento maior do que a indústria”, afirma Marçal. Ele acredita que o fechamento anual de produção deve apresentar números tímidos. “No final do ano, com os efeitos das reduções de juros sendo sentidos, a indústria pode crescer na casa de 1%. Os estímulos via crédito podem fazer com que algumas categorias de bens duráveis venham a reagir como o setor automobilístico, por exemplo”, finaliza.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar