acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Refino

Primeira carga de combustível naval com baixo teor de enxofre é comercializada pela RNEST

04/07/2019 | 11h39
Primeira carga de combustível naval com baixo teor de enxofre é comercializada pela RNEST
Divulgação Divulgação

A Refinaria Abreu e Lima (RNEST), da Petrobras, em Ipojuca, Pernambuco, iniciou a comercialização de Bunker 2020 - óleo combustível utilizado em motores de navios, com baixo teor de enxofre. A primeira venda foi realizada na última semana, com cerca de 16 mil m³ do produto, destinados à exportação. O óleo combustível recebe esse nome devido à mudança no limite máximo para o teor de enxofre, que passará a valer em todo o mercado mundial de refino e combustíveis a partir de 2020. 

A nova especificação reduz o teor de enxofre no bunker de 3,5% para 0,5%. Estabelecido pela International Maritime Organization (IMO), o novo limite atende à Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios (Marpol), da qual o Brasil é signatário, e visa reduzir efeitos da poluição ao meio ambiente. As mudanças começaram a ser debatidas após estudos demonstrarem que o transporte marítimo é o que possui as maiores taxas de emissão de enxofre. 

Entre abril e junho de 2019, a Petrobras ultrapassou a marca de 190 mil m³ de Bunker 2020 produzidos, somados os volumes de seis refinarias. Além de Abreu e Lima, as outras refinarias da Petrobras que já produzem o óleo combustível são: Refinaria Isaac Sabbá (Reman), no Amazonas, Refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, Refinaria de Paulinia (Replan) e Refinaria Henrique Lage (Revap), ambas em São Paulo, e Refinaria Duque de Caxias (Reduc), no Rio de Janeiro.

Institucional



Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar