acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Refinaria

Premium II terá R$ 115,8 milhões no ano que vem

19/12/2012 | 15h17

 

O governo federal deverá reservar um montante de R$ 115,8 milhões para serem investidos na refinaria Premium II no ano que vem. A definição dos recursos, apesar de reforçar a posição da Petrobras, ao longo deste ano, de que o projeto cearense não seria retirado de seu plano de negócios, representa um volume financeiro anual menor que o já destinado ao empreendimento pelo governo em anos anteriores. Os valores estão previstos no Orçamento Geral da União (OGU) para 2013, que deve ser votado ainda hoje no Congresso Nacional.
O valor reservado para a refinaria cearense representa menos de 10% do total previsto para o empreendimento até 2014 por meio do PAC 2.
Em 2010, o OGU destinou para a refinaria cearense, para utilização no exercício fiscal de 2011, R$ 310,2 milhões. Contudo, o andamento das ações para a implantação do empreendimento não ocorreu como esperado, com uma série de pendências e impasses que foram surgindo, e boa parte desses recursos não chegou a ser aplicada.
Da mesma forma ocorreu no orçamento seguinte, que previa recursos para este ano. O OGU 2012 programava um volume já reduzido, fixado em R$ 177,9 milhões, mas, ainda assim, maior do que o que deve ser aprovado para 2013.
Terraplanagem
Neste ano, esperava-se que fossem iniciadas as obras de terraplanagem do terreno que abrigará o empreendimento, o que, agora, só deve ocorrer em 2013. Até o momento, as aplicações financeiras para o empreendimento foram, principalmente, para a execução dos estudos ambientais, dos projetos básico e executivo e da sondagem da área que abrigará a usina.
Para o ano que vem, a Premium II é também a que tem previsto o menor orçamento entre os novos projetos de refino da Petrobras. O maior ficará com a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. O OGU 2013 programa dispêndios de R$ 7,86 bilhões com o empreendimento, que estava com 64% de suas obras concluídas em setembro passado, data do último balanço do segundo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).
Na sequência, vem o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que estava com 41% de execução de sua primeira fase até setembro. O projeto contará com um montante de R$ 6,63 bilhões em 2013.
Maranhão
Já a refinaria Premium I, a ser construída no Maranhão, e que foi anunciada no mesmo período do empreendimento cearense, tem reservados recursos superiores em mais de quatro vezes os destinados à refinaria cearense: R$ 494,3 milhões. A usina maranhense está em fase avançada de terraplanagem e tinha 7,6% das obras prontas até o terceiro trimestre deste ano.
Até mesmo a Refinaria Clara Camarão, a de menor porte e que está em instalação no Rio Grande do Norte, terá mais recursos que a Premium II. Ela contará com R$ 192,8 milhões para investimentos em 2013.
O valor reservado para a refinaria cearense representa menos de 10% do total previsto para o empreendimento até 2014 por meio do PAC 2, que é de R$ 1,36 bilhão. A refinaria deve estar concluída entre 2017 e 2018, custará R$ 19,74 bilhões, segundo relatório do Programa.

O governo federal deverá reservar um montante de R$ 115,8 milhões para serem investidos na refinaria Premium II no ano que vem. A definição dos recursos, apesar de reforçar a posição da Petrobras, ao longo deste ano, de que o projeto cearense não seria retirado de seu plano de negócios, representa um volume financeiro anual menor que o já destinado ao empreendimento pelo governo em anos anteriores.

Os valores estão previstos no Orçamento Geral da União (OGU) para 2013, que deve ser votado ainda hoje no Congresso Nacional.


O valor reservado para a refinaria cearense representa menos de 10% do total previsto para o empreendimento até 2014 por meio do PAC 2.


Em 2010, o OGU destinou para a refinaria cearense, para utilização no exercício fiscal de 2011, R$ 310,2 milhões. Contudo, o andamento das ações para a implantação do empreendimento não ocorreu como esperado, com uma série de pendências e impasses que foram surgindo, e boa parte desses recursos não chegou a ser aplicada.


Da mesma forma ocorreu no orçamento seguinte, que previa recursos para este ano. O OGU 2012 programava um volume já reduzido, fixado em R$ 177,9 milhões, mas, ainda assim, maior do que o que deve ser aprovado para 2013.



Terraplanagem


Neste ano, esperava-se que fossem iniciadas as obras de terraplanagem do terreno que abrigará o empreendimento, o que, agora, só deve ocorrer em 2013. Até o momento, as aplicações financeiras para o empreendimento foram, principalmente, para a execução dos estudos ambientais, dos projetos básico e executivo e da sondagem da área que abrigará a usina.


Para o ano que vem, a Premium II é também a que tem previsto o menor orçamento entre os novos projetos de refino da Petrobras. O maior ficará com a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. O OGU 2013 programa dispêndios de R$ 7,86 bilhões com o empreendimento, que estava com 64% de suas obras concluídas em setembro passado, data do último balanço do segundo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).


Na sequência, vem o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que estava com 41% de execução de sua primeira fase até setembro. O projeto contará com um montante de R$ 6,63 bilhões em 2013.



Maranhão


Já a refinaria Premium I, a ser construída no Maranhão, e que foi anunciada no mesmo período do empreendimento cearense, tem reservados recursos superiores em mais de quatro vezes os destinados à refinaria cearense: R$ 494,3 milhões. A usina maranhense está em fase avançada de terraplanagem e tinha 7,6% das obras prontas até o terceiro trimestre deste ano.


Até mesmo a Refinaria Clara Camarão, a de menor porte e que está em instalação no Rio Grande do Norte, terá mais recursos que a Premium II. Ela contará com R$ 192,8 milhões para investimentos em 2013.


O valor reservado para a refinaria cearense representa menos de 10% do total previsto para o empreendimento até 2014 por meio do PAC 2, que é de R$ 1,36 bilhão. A refinaria deve estar concluída entre 2017 e 2018, custará R$ 19,74 bilhões, segundo relatório do Programa.

 



Fonte: Diário do Nordeste
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar