acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
EUA

Preços do petróleo caem mais de 3% após Trump culpar Opep por preços "muito altos"

26/02/2019 | 11h06

Os contratos futuros do petróleo caíram mais de 3 por cento nesta segunda-feira, em sua maior queda percentual diária neste ano, após o presidente dos EUA, Donald Trump, pedir à Opep que reduza seus esforços para impulsionar os preços do produto, os quais estariam "ficando muito altos".

Os futuros do petróleo Brent caíram 2,36 dólares, ou 3,5 por cento, fechando a 64,76 dólares por barril. O petróleo dos EUA fechou em queda de 1,78 dólar, ou 3,1 por cento, a 55,48 dólares o barril.

"Os preços do petróleo estão ficando muito altos. Opep, por favor, relaxe e vá com calma. O mundo não pode suportar essa alta —frágil!", escreveu Trump, no mais recente de uma série de tuítes sobre os preços do petróleo desde abril de 2018.

Os comentários desencadearam uma onda de vendas que parou o avanço da sessão de sexta-feira, quando ambas as referências atingiram máximas de mais de três meses por expectativas de menores suprimentos e crescentes esperanças quanto a um acordo comercial entre EUA e China.

"Acredito que aquele tuíte estabeleceu um grande impulso para baixo no começo do dia, e não nos recuperamos", declarou Michael O´Donnell, estrategista sênior de mercado da RJO Futures em Chicago.

Os preços do petróleo subiram cerca de 20 por cento desde o começo do ano, quando a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e produtores não-membros, como a Rússia, cortaram produção para reduzir um excesso global.

"Parece que Trump está tentando microgerenciar o petróleo... para manter produção forte o suficiente para que os suprimentos globais sigam positivos", disse em nota a clientes Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates.



Fonte: Reuters, 26/02/2019
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar