acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Preços

Petróleo se recupera após fecharem nos menores níveis em dois meses

08/07/2016 | 13h27

Os preços do petróleo operam em alta nesta sexta-feira, se recuperando após os preços fecharem em queda de quase 5% pressionados pela redução nos estoques de petróleo menor que a esperada, atingindo os menores níveis em dois meses.

Às 8h34 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para setembro avançava 1,08% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 46,90 por barril, enquanto o WTI para agosto subia 1,13% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 45,65 por barril.

De acordo com o Departamento de Energia dos EUA (DoE), os estoques norte-americanos de petróleo bruto caíram 2,223 milhões de barris na semana encerrada em 1º de julho, para 524,35 milhões de barris. A queda foi ligeiramente menor que a previsão de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam recuo de 2,3 milhões de barris e menor que a estimativa do American Petroleum Institute, de queda de 6,7 milhões.

"Esperamos que a redução total nos estoques de petróleo nos EUA atinja 9 milhões de barris em julho, embora haja potencialmente algum risco, dado que o recente colapso das margens globais começou a atingir os EUA também", disse a consultoria Energy Aspects.

O ritmo de diminuição do estoque bruto é suscetível de diminuir ainda mais a partir de setembro por causa da manutenção de outono nas refinarias, observou a consultoria.

Analistas disseram que os dados de estoques ofuscaram a queda na produção de petróleo do país em cerca de 200 mil barris por dia em relação a semana anterior.

"Este declínio mais pronunciado desde a temporada de furacões de 2013 foi mais que seis vezes maior do que a média desde o início do ano", disse o Commerzbank em nota diária, adicionando que este cenário pode ter sido "ignorado" pelo mercado.

A ampla oferta de gasolina também pesaram, mesmo com o crescimento das vendas de veículos de passageiros e a alta demanda sazonal em meio a temporada de verão nos EUA.



Fonte: Dow Jones Newswires, 08/07/2016
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar