acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Cotação

Lobão: petróleo do pré-sal é interessante ainda a US$ 35

01/10/2009 | 03h39
O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse ontem que a produção de petróleo do pré-sal "ainda é interessante" com uma eventual cotação internacional do barril a US$ 35. Atualmente, o barril do petróleo está cotado acima de US$ 65. As declarações do ministro foram feitas em entrevista logo após participar de audiência pública na comissão especial da Câmara que analisa o projeto de lei que define a partilha como regime de produção no pré-sal.


Nos últimos dias, o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, tem dito que a produção no pré-sal é viável mesmo com a cotação do petróleo abaixo de US$ 45. "Está até sendo um pouco rigoroso. Mesmo abaixo desse preço, o pré-sal ainda é altamente lucrativo", disse Lobão, referindo-se à afirmação de Gabrielli.


Durante a audiência na Câmara, Lobão defendeu a adoção do sistema de partilha da produção em contrapartida ao atual regime de concessão, que continuará em vigor, paralelamente, nas áreas já licitadas e naquelas fora do pré-sal ou das chamadas áreas estratégicas. "Defender a partilha é defender os interesses do País, e não os das empresas. Tudo o que elas querem na vida é continuar na concessão, mas isso é tudo o que a gente não quer", declarou o ministro de Minas e Energia.


PARCERIAS. O ministro Edison Lobão também disse que o governo do Irã está interessado em fechar parcerias com a Petrobras para exploração de petróleo no Irã, na África e em outras regiões. "Somente eu recebi vários ministros do Irã e o embaixador iraniano convidando a Petrobras para se associar a eles na exploração de petróleo na África, no próprio Irã e em outros lugares", relatou.
 
 
Atualmente, a Petrobras já atua no Irã, na condição de prestadora de serviços. Isso significa que o óleo extraído pela fica com a empresa local e a estatal brasileira recebe um pagamento pelos serviços prestados. Lobão disse também que a produção de petróleo do pré-sal ainda é "interessante" mesmo se a cotação internacional do barril estiver a US$ 35. Ontem, o barril do petróleo em Nova York fechou acima dos US$ 70.


Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar