acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indicadores

Índice de Preço ao Produtor fecha março com variação negativa de 0,22%

06/05/2014 | 13h12

 

O Índice de Preços ao Produtor (IPP) registrou variação negativa de 0,22% em março, na comparação com fevereiro (0,52%). O índice mede a evolução dos preços dos produtos de 23 setores da indústria de transformação, na saída das fábricas sem impostos e fretes.
Com a variação de março, o IPP fecha com o primeiro resultado negativo desde o registrado em outubro do ano passado (-0,45%). Os dados referentes ao Índice de Preços ao Produtor foram divulgados hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O resultado acumulado em 2014 chegou a 1,73%, em março – resultado que, no entanto, é 0,23 ponto percentual menor do que a taxa anualizada dos primeiros dois meses do ano: 1,96%. Já a inflação acumulada nos últimos 12 meses (a taxa anualizada) encerrou março com alta de preços de 7,96%, contra os 8,24% do período imediatamente anterior.
O IBGE apurou alta de preços em apenas cinco das 23 atividades pesquisadas, contra as 14 atividades do mês anterior. As quatro maiores variações de março em relação a fevereiro foram em equipamentos de informática, produtos eletrônicos e óticos (-2,54%); fumo (-2,01%); impressão (-1,66%) e madeira (-1,60%).
Mas os itens com maior influência, ou impacto, na variação negativa, foram equipamentos de informática, produtos eletrônicos e óticos (menos 0,07 ponto percentual), fabricação de máquinas e equipamentos (menos 0,04 ponto percentual), refino de petróleo e produtos de álcool (menos 0,04 ponto percentual) e outros produtos químicos (menos 0,04 ponto percentual).

O Índice de Preços ao Produtor (IPP) registrou variação negativa de 0,22% em março, na comparação com fevereiro (0,52%). O índice mede a evolução dos preços dos produtos de 23 setores da indústria de transformação, na saída das fábricas sem impostos e fretes.

Com a variação de março, o IPP fecha com o primeiro resultado negativo desde o registrado em outubro do ano passado (-0,45%). Os dados referentes ao Índice de Preços ao Produtor foram divulgados hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado acumulado em 2014 chegou a 1,73%, em março – resultado que, no entanto, é 0,23 ponto percentual menor do que a taxa anualizada dos primeiros dois meses do ano: 1,96%. Já a inflação acumulada nos últimos 12 meses (a taxa anualizada) encerrou março com alta de preços de 7,96%, contra os 8,24% do período imediatamente anterior.

O IBGE apurou alta de preços em apenas cinco das 23 atividades pesquisadas, contra as 14 atividades do mês anterior. As quatro maiores variações de março em relação a fevereiro foram em equipamentos de informática, produtos eletrônicos e óticos (-2,54%); fumo (-2,01%); impressão (-1,66%) e madeira (-1,60%).

Mas os itens com maior influência, ou impacto, na variação negativa, foram equipamentos de informática, produtos eletrônicos e óticos (menos 0,07 ponto percentual), fabricação de máquinas e equipamentos (menos 0,04 ponto percentual), refino de petróleo e produtos de álcool (menos 0,04 ponto percentual) e outros produtos químicos (menos 0,04 ponto percentual).

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar