acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
E&P

HRT anuncia criação de empresa de E&P

05/11/2009 | 13h00
HRT anuncia criação de empresa de E&P
HRT anuncia criação de empresa de E&P HRT anuncia criação de empresa de E&P
A consultora e prestadora de serviços High Resolution Technology & Petroleum (HRT) anunciou nesta quarta-feira (4) a captação de U$S 275 milhões junto a investidores das mais importantes praças financeiras internacionais para a criação da HRT Oil & Gas, empresa de exploração e produção de petróleo e gás inicialmente com foco na Amazônia.

 
O presidente do grupo é geólogo e presidente da Associação Brasileira de Geólogos de Petróleo (ABGP), Márcio Rocha Mello. Integram ainda o conselho da empresa o ex-diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e da Nuclebrás, John Forman, como vice-presidente executivo, o ex-presidente da Petrobras e ex-ministro de Infra-estrutura, Eduardo Teixeira, como diretor Financeiro, o ex-diretor de exploração e produção da Petrobras, Antônio Agostini, como diretor de Operações, e Mike Vitton, ex-captador para América do Norte do banco de Montreal.

 
A companhia começa operando em 21 blocos na bacia do Solimões, na Amazônia, em parceria com a Petra Energia e a M&S Brasil, em uma área de aproximadamente 50 mil quilômetros quadrados, área superior a diversos países, como por exemplo, a Bélgica. O potencial petrolífero estimado da área é algo entre 4 a 6 bilhões de barris de óleo leve e de 10 a 20 TCF (trilhão de pés cúbicos) de gás.

 
De acordo com o presidente do grupo HRT, Márcio Mello, a bacia do Solimões tem um grande potencial e pode ser uma das maiores provedoras de gás e óleo leve do país. “O gás é a energia do futuro, uma energia limpa com praticamente zero de emissão de poluentes. Importamos hoje 60% do nosso gás”, avaliou. “A Amazônia será a maior fronteira de gás do Brasil, maior até do que o pré-sal. É uma oportunidade de utilizar uma energia limpa para o desenvolvimento de uma região extremamente sensível”, disse.

 
Segundo Mello, a companhia pretende participar da próxima Rodada de Licitações da Agência Nacional de Petróleo (ANP) e buscar oportunidade em poços nas bacias de Santos, Campos, Espírito Santo, Recôncavo e Barreirinhas.
 
“Criar uma companhia de E&P é o sonho de qualquer geólogo, mas os riscos são grandes e é preciso levantar capital. Montamos uma diretoria com os melhores profissionais. Temos 29 geólogos com certificado PhD. Mesmo com os negócios de exploração e produção, continuaremos com a área de serviços”, destacou. “Em um primeiro momento daremos atenção aos blocos em terra, onde a produção ocorre mais rapidamente. Por conta do pré-sal, a atividade onshore acabou de certa forma, colocada de lado”.

 
Segundo Mello, a companhia já contratou quatro sondas na China, Estados Unidos e Canadá para fazer a perfuração dos poços da região. Do total, duas já estão construídas e outras duas estão em construção. “A previsão é que em junho ou julho do ano que os equipamentos já estejam operando. A idéia é que cada sonda fure quatro poços por ano e, ao final de dois anos tenhamos perfurado 32 poços na área. Iremos contratar mais outras duas sondas, totalizando seis equipamentos de perfuração na área até o final de 2010, quando esperamos estar produzindo nosso primeiro óleo”, afirmou.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar