acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Gás Natural

GasBrasiliano apresenta solução de usina híbrida aos associados da Cogen em São Paulo

27/06/2016 | 13h52

A GasBrasiliano apresentou para os associados da COGEN (Associação da Indústria de Cogeração de Energia), a solução de usina híbrida desenvolvida pela Companhia, por meio de parceiros tecnológicos como o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) e a WTERT Brasil, empresa especializada na geração de energia com resíduos sólidos. O projeto visa maximizar o retorno financeiro das usinas de açúcar e etanol por meio da inserção do gás natural no ciclo de vapor da biomassa.

De acordo com o presidente da GasBrasiliano, Walter Fernando Piazza Júnior, quando o gás natural é inserido no ciclo de vapor da biomassa aumenta a eficiência do processo. “A energia do gás natural aumenta a temperatura do vapor produzido pela biomassa e, consequentemente, sua capacidade de produzir energia mecânica na turbina à vapor. Esse ganho pode ser obtido com o uso do gás natural em configurações de superaquecimento do vapor externo à caldeira de biomassa ou em ciclo de reaquecimento, utilizando-se dos gases de exaustão de turbinas à gás natural”, explica o Presidente.

Nesse contexto de integração de biomassa e gás natural, a eficiência aparente do gás atinge valores entre 85 % a 140% – razão entre a quantidade de energia adicional gerada e a quantidade de gás natural aplicado, garantindo a competitividade do gás natural na aplicação. Um dos pontos mais relevantes da solução apresentada é que a quantidade de gás natural inserida é pequena, porém a eficiência global das usinas pode ser aumentada significativamente. “A planta continua com sua característica de combustível renovável e o gás natural apresenta-se como um bônus, valorizando e maximizando a energia da biomassa”, enfatiza Piazza.

Foram apresentados estudos de casos em usinas parceiras, comparando o retorno financeiro da solução convencional (sem gás natural) e solução híbrida (com gás natural) com a quantidade de bagaço fixa. “Os resultados são muito atraentes. Buscamos demonstrar, por meio das ferramentas de análise técnica e financeira desenvolvidas, que a introdução do gás natural em usinas existentes, ou novas, garante retorno financeiro acelerado ao empreendimento”, conclui o executivo.

 

 



Fonte: Assessoria/Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar