acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia solar

Financiamento: Energia Solar é alternativa economicamente viável

21/02/2020 | 17h47

Não é segredo para ninguém que a energia solar é uma alternativa interessante – e sustentável - para suprir as necessidades energéticas de uma residência ou de empresas. Trata-se de uma boa fonte para quem quer economizar na conta de luz e colaborar com a preservação do meio ambiente. Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o consumidor que opta por esse modelo pode ter redução de até 190% na conta de luz. Esse tipo de fonte é, sem sombra de dúvidas, o futuro da matriz energética no Brasil, uma vez que deve superar a hidreletricidade até 2040.

Até pouco tempo atrás, era comum ouvir das pessoas que apesar de interessante, a tecnologia por trás dos sistemas fotovoltaicos inviabilizavam a aquisição desse novo modelo de geração de energia por ser cara. Em resumo, pensava-se que era algo restrito apenas aos ricos ou às grandes empresas. Porém, esse cenário vem mudando. Desde 2012, a procura por energia solar tem crescido com a possibilidade de o consumidor gerar a própria energia a partir de fontes renováveis. Essa modalidade de geração de energia possibilita uma recuperação financeira mais rápida para o consumidor que investiu nesse tipo de fonte. Segundo dados da Absolar, o Brasil possui mais de 93 mil sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede, trazendo economia e sustentabilidade ambiental a mais de 116 mil unidades consumidoras. Isso representa um montante de R$ 5 bilhões em investimentos acumulados desde 2012.

Com o crescimento do mercado, a popularização da tecnologia, a circulação de informação e a possibilidade de tomada de crédito para investir em sistemas, gerar a própria energia vem se tornando cada vez mais interessante e uma oportunidade para empresas de todos os portes e setores, bem como para boa parte das famílias brasileiras. Inclusive, cresce a oferta de linhas de crédito para a aquisição e instalação dos sistemas fotovoltaicos. Atualmente, são mais de 70 opções de financiamento para energia solar disponíveis entre 26 bancos diferentes hoje no Brasil. O crédito fornecido costuma atender até 100% do projeto, incluindo tanto os equipamentos quanto a mão de obra das empresas que dimensionam e instalam o sistema.

Para muitos consumidores, esse crédito costuma ser a única opção para conseguir arcar com o custo inicial da tecnologia, mas, para outros, ele se torna uma escolha mais atrativa. Isso, porque várias dessas linhas são incentivadas por bancos de desenvolvimento e oferecem condições super facilitadas de pagamento, como àquelas dedicadas ao setor rural. Para esse público, que apresenta alto consumo elétrico, muitas vezes a economia obtida na conta de luz fica próxima ou até mesmo acima da parcela do financiamento.

O financiamento para pessoas físicas, que até pouco tempo atrás não existia, hoje também é oferecido por bancos públicos e privados com taxas e prazos bem atrativos. Esse acesso ao crédito é um dos fatores que impulsionaram o segmento de energia solar distribuída nos últimos, assim como a contínua queda dos preços da tecnologia. Foram R$ 5,1 bilhões em financiamentos de projetos fotovoltaicos em 2018, de acordo com o mapeamento realizado pela ABSOLAR em parceria com a Clean Energy Latin America (CELA), sendo a maioria deles dentro do segmento distribuído. Com outro ano recorde no número de instalações, a energia solar segue crescendo entre os brasileiros e deverá totalizar novos bilhões em financiamentos em 2019.



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar