acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Brasil Offshore

Feira Brasil Offshore, a vitrine de Macaé para o mundo do petróleo

18/03/2019 | 10h05

Institucional

Tudo era um sonho. Do projeto à realização. O desafio de reunir em Macaé as maiores empresas de petróleo e gás do mundo, não seria possível se não houvesse a audácia de um empresário que buscou apoio para plantar a semente, em 2001, de um evento que se tornou, a partir de 2003, o mais importante dentre eles, que faz jorrar dinheiro em torno do tão cobiçado ouro negro. Presidente da Associação Comercial e Industrial de Macaé, na ocasião, Claudio Matos, que apostou no surgimento desta indústria revolucionária que move o mundo, conseguiu o apoio e a promessa do prefeito Sylvio Lopes, da construção de um Centro de Convenções para abrigar a Feira Brasil Offshore. A partir dessas iniciativas, Macaé avançou e rapidamente se transformou na Capital Nacional do Petróleo. O município virou a vitrine de Macaé para o mundo do petróleo e a Bacia de Campos ostentava 82% da produção.

A cidade virou quase uma festa. O bairro Cavaleiros se tornou o point dos empresários estrangeiros que no polo gastronômico interagiam com os brasileiros e petroleiros. Várias línguas que foram dominando o mercado a ponto de exigir nos estabelecimentos o inglês fluente, irradiava o avanço. Se o Novo Cavaleiros virou polo onshore de base para a offshore, o aeroporto ostentou no país o terceiro lugar em pouso e decolagem de aeronaves, o crescimento vertical atingiu índices jamais imaginados, principalmente com a construção de hotéis, o orçamento municipal chegava a casa do R$ bilhão e a Petrobras anunciava recordes e novas descobertas, enquanto a Schulumberger sediava aqui a sua maior base em todo o mundo, houve uma nova histeria. A descoberta do pré-sal, em 2007.

Como o governo federal e o parlamento não souberam fazer o dever de casa e demorou mais de 10 anos para mudar as regras de exploração e produção, várias crises se sucederam, a pior delas, a partir de 2013/14, quando o preço do barril de petróleo bateu menos de US$ 29 dólares, e começou a derrocada. Mesmo assim, a Alcântara Machado, promotora do evento, graças a persistência e sabedoria do coordenador da Feira Brasil Offshore, Daniel Pereira continuou seu trabalho de manter o pilar sustentado e, agora, faltando três meses para uma nova edição, a Avant Premiere do sucesso reúne as principais cabeças do ouro negro, para demonstrar com números e muitas informações privilegiadas, que o sonho não acabou. Pelo contrário, ele não se preocupa em começar de novo.

Enquanto giravam no ar milhares de informações, saber quais delas eram ou não importantes, resultou num exercício ímpar para algumas instituições que, em Macaé, principalmente, buscavam orientação para enxergar luz no fim do túnel. E foram nas reuniões da Comissão Municipal da Firjan, Associação Comercial, Convention & Bureau, Rede Petro-BC e tantas outras, que as trevas davam lugar à esperança. Incansável e responsável por transmitir incentivo aos empresários e às autoridades, e também previsibilidade, viajando de norte a sul e de leste a oeste, acampando em Brasília, a ABESPETRO - Associação Brasileira de Empresas de Petróleo, representada na FIRJAN pelo magnânimo Gilson Coelho, navegava com esperanças sempre otimistas.

Em fevereiro de 2018, foi dele a informação de que a competividade do petróleo garantia a Macaé um novo ciclo de prosperidade. Na ocasião a Petrobras anunciou um lucro de R$ 25,8 bilhões, o primeiro resultado positivo desde 2013. E que três das maiores operadoras de óleo e gás do mundo fixavam ARQUIVO A Feira Brasil Offshore 2019 acontece nos dias 25 a 29 de junho, no Centro de Convenções atividades no município de Macaé, afirmando que: "Se as últimas quatro décadas foram dominadas pela ascensão da Petrobras a um dos principais postos no mercado global de geração de energia, a chegada a Macaé da ExxonMobile e da Shell configuram um novo ciclo para a cidade, que será consolidado através da décima e histórica edição da Feira Brasil Offshore. O município é o ponto de partida para um novo ciclo de operações que, em longo prazo, irá potencializar a oferta de óleo e gás brasileiro no mercado internacional, atingindo um ápice não previsto para qualquer outra nação petrolífera do mundo".

Ele afirma que: "Hoje, o mercado internacional tem uma visão importante sobre Macaé. E não apenas no aspecto do petróleo, mas também do gás. A cidade volta a ser uma vitrine para a reestruturação do setor, algo nunca visto antes em sua história", diz.

E a história volta a mudar, a partir da Avant Premiere da Brasil Offshore, que reúne terça-feira (19), às 10 horas, no Hotel Gran Nobile, dois painéis com palestras dos empresários André Araújo - Presidente da Shell Brasil; Adriano Bastos - Presidente da BP Energy Brasil; Alejandro Duran - Country Manager BHGE e Diretor da ABESPetro; Milton Costa - Secretário Geral do IBP; Karine Fragoso - Gerente de Petróleo, Gás e Naval Firjan e Diretora Geral da ANP; Marcio Felix - Secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do MME, finalizando com Dr. Aluizio, prefeito do município.

E aqui, não estamos registrando os planos do Clima e do Tepor, além da construção das duas usinas termelétricas que já mobilizam a empregabilidade de centenas de trabalhadores, recuperando a economia.

O futuro, pelo que se vê, não está longe. Está logo alí...



Fonte: O Debate, 18/03/2019
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar