acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indicadores

Empresas investiram R$ 65 bi em pesquisa e inovação em 2011

05/12/2013 | 10h34
Empresas investiram R$ 65 bi em pesquisa e inovação em 2011
Banco de imagens Shell Banco de imagens Shell

 

Os investimentos feitos pelas empresas em inovação tecnológica atingiram, em 2011, R$ 64,9 bilhões – equivalente a 2,56% da receita líquida de vendas. Na indústria, a aquisição de máquinas e equipamentos continua a ser a atividade que mais concentra gastos com inovação: 1,11% sobre a receita líquida de vendas.
Entre 2009 e 2011, 35,7% das 128.699 empresas com dez ou mais funcionários inovaram em produtos e processos no Brasil. As informações constam da Pesquisa de Inovação Tecnológica 2011 (Pintec 2011) que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje (5).
Apesar dos avanços, a pesquisa constata que os investimentos em inovação tecnológica caíram na indústria nos últimos anos. A Pintec de 2008, por exemplo, registra que 38,1% das empresas haviam inovado. Esse percentual caiu para 35,6% na pesquisa atual.
No universo pesquisado, o número de empresas industriais aumentou 16,1%. Já o crescimento das empresas consideradas inovadoras foi menor (8,3%). Dentre as empresas do grupo indústrias extrativas, 18,9% foram consideradas inovadoras, percentual bem inferior ao das indústrias de transformação (35,9%).
No período que a pesquisa abrange (de 2009 a 2011), 36,8% das empresas do setor de serviços inovaram. “Importante destacar a inclusão, neste conjunto, do setor de serviços de arquitetura e engenharia, testes e análises técnicas, no qual 29,6% das empresas inovaram – valor abaixo da média dos segmentos de serviços”, informou o IBGE.
Em serviços selecionados (edição, telecomunicações e informática), 36,8% das empresas inovaram em 2011, enquanto a taxa da indústria foi 35,6%. Os resultados não são diretamente comparáveis às edições anteriores da pesquisa, “uma vez que houve a inclusão do setor de eletricidade e gás e dos serviços de engenharia, arquitetura, testes e análises técnicas”, neste último estudo divulgado pelo Instituto. A Pintec 2011 revela que 44,1% das empresas do setor de eletricidade e gás inovaram.
Por outro lado, aproximadamente 7,5 mil empresas inovadoras (16,3%) investiram em atividades internas de pesquisa e desenvolvimento, em 2011. Dessas, 78,9% (5,9 mil) são empresas industriais; 20,2% (1,5 mil), empresas de serviços selecionados e 0,9% (65) de eletricidade e gás.
Quanto aos gastos com pesquisa e desenvolvimento (P&D) na indústria, o investimento com passou de R$ 10,7 bilhões (24,49%) em 2008 para R$ 15,2 bilhões (29,78%) em 2011. A relação entre os dispêndios em P&D interno e a receita líquida nas empresas industriais também aumentou, passando de 0,62% em 2008 para 0,71% em 2001.
Pela Pintec 2011, o IBGE constatou estabilidade no percentual de empresas que introduziram novos processos para inovação. Na indústria, o percentual de empresas inovadoras passou de 32,1% para 31,7% no período 2009-2011.
Na atual pesquisa, o percentual de empresas industriais, que introduziram processo novo para o setor foi 2,1%, praticamente reproduzindo o constatado na edição anterior da pesquisa (2,3%). Dentre as empresas do setor de serviços, 31,5% inovaram em processo, sendo que as inovadoras representaram 5,4% do universo de empresas da Pintec 2011.
Segundo o IBGE, os setores com maior incidência de inovação de processo foram os de pesquisa e desenvolvimento (81,7%), fabricação de sabões, detergentes, produtos de limpeza, cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal (73,3%) e segmento automobilístico (69,1%).

Os investimentos feitos pelas empresas em inovação tecnológica atingiram, em 2011, R$ 64,9 bilhões – equivalente a 2,56% da receita líquida de vendas. Na indústria, a aquisição de máquinas e equipamentos continua a ser a atividade que mais concentra gastos com inovação: 1,11% sobre a receita líquida de vendas.

Entre 2009 e 2011, 35,7% das 128.699 empresas com dez ou mais funcionários inovaram em produtos e processos no Brasil. As informações constam da Pesquisa de Inovação Tecnológica 2011 (Pintec 2011) que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje (5).

Apesar dos avanços, a pesquisa constata que os investimentos em inovação tecnológica caíram na indústria nos últimos anos. A Pintec de 2008, por exemplo, registra que 38,1% das empresas haviam inovado. Esse percentual caiu para 35,6% na pesquisa atual.

No universo pesquisado, o número de empresas industriais aumentou 16,1%. Já o crescimento das empresas consideradas inovadoras foi menor (8,3%). Dentre as empresas do grupo indústrias extrativas, 18,9% foram consideradas inovadoras, percentual bem inferior ao das indústrias de transformação (35,9%).

No período que a pesquisa abrange (de 2009 a 2011), 36,8% das empresas do setor de serviços inovaram. “Importante destacar a inclusão, neste conjunto, do setor de serviços de arquitetura e engenharia, testes e análises técnicas, no qual 29,6% das empresas inovaram – valor abaixo da média dos segmentos de serviços”, informou o IBGE.

Em serviços selecionados (edição, telecomunicações e informática), 36,8% das empresas inovaram em 2011, enquanto a taxa da indústria foi 35,6%. Os resultados não são diretamente comparáveis às edições anteriores da pesquisa, “uma vez que houve a inclusão do setor de eletricidade e gás e dos serviços de engenharia, arquitetura, testes e análises técnicas”, neste último estudo divulgado pelo Instituto. A Pintec 2011 revela que 44,1% das empresas do setor de eletricidade e gás inovaram.

Por outro lado, aproximadamente 7,5 mil empresas inovadoras (16,3%) investiram em atividades internas de pesquisa e desenvolvimento, em 2011. Dessas, 78,9% (5,9 mil) são empresas industriais; 20,2% (1,5 mil), empresas de serviços selecionados e 0,9% (65) de eletricidade e gás.

Quanto aos gastos com pesquisa e desenvolvimento (P&D) na indústria, o investimento com passou de R$ 10,7 bilhões (24,49%) em 2008 para R$ 15,2 bilhões (29,78%) em 2011. A relação entre os dispêndios em P&D interno e a receita líquida nas empresas industriais também aumentou, passando de 0,62% em 2008 para 0,71% em 2001.

Pela Pintec 2011, o IBGE constatou estabilidade no percentual de empresas que introduziram novos processos para inovação. Na indústria, o percentual de empresas inovadoras passou de 32,1% para 31,7% no período 2009-2011.

Na atual pesquisa, o percentual de empresas industriais, que introduziram processo novo para o setor foi 2,1%, praticamente reproduzindo o constatado na edição anterior da pesquisa (2,3%). Dentre as empresas do setor de serviços, 31,5% inovaram em processo, sendo que as inovadoras representaram 5,4% do universo de empresas da Pintec 2011.

Segundo o IBGE, os setores com maior incidência de inovação de processo foram os de pesquisa e desenvolvimento (81,7%), fabricação de sabões, detergentes, produtos de limpeza, cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal (73,3%) e segmento automobilístico (69,1%).



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar