acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Premiação

Empresa gaúcha é a melhor fornecedora onshore da Petrobras

21/05/2019 | 11h34
Empresa gaúcha é a melhor fornecedora onshore da Petrobras
Divulgação Estrutural / Petrobras Divulgação Estrutural / Petrobras

Reconhecida em duas categorias distintas, a Estrutural Serviços Industriais foi um dos destaques do Prêmio Reconhecimento de Melhores Fornecedores Petrobras 2018, entregue em 29 de março durante solenidade realizada no Rio de Janeiro. A premiação tem como objetivo reconhecer a boa performance de empresas na entrega de produtos e serviços, sendo avaliados critérios como qualidade, prazo, boas práticas de gestão, alinhamento aos padrões de Segurança, Meio Ambiente e Saúde (SMS) e a busca da conformidade e integridade.

 

A empresa sediada na capital gaúcha foi a única vencedora na categoria Manutenção Onshore graças à excelência no desempenho e atendimento oferecidos às refinarias e fábricas de fertilizantes da companhia de petróleo brasileira. “Ser reconhecido como o melhor fornecedor é muito gratificante. Além de nos deixar muito orgulhosos, esse prêmio exclusivo confirma que estamos no caminho certo, pois a Petrobras é extremamente exigente em relação à qualidade dos serviços, cumprimento de prazos e segurança no trabalho”, destaca o diretor administrativo Adão Batista Duarte da Silva, reforçando que a observância destes quesitos é adotada desde a criação da Estrutural, há 27 anos. “Oferecer um serviço com qualidade, segurança e dentro dos prazos faz parte da nossa filosofia de trabalho, está no DNA da empresa. Entendemos que estamos no caminho certo, mas sempre há o que melhorar, essa é uma busca contínua”, emenda.

 

A Estrutural foi premiada ainda pela inclusão de pessoas com deficiências em seu quadro funcional, sendo uma das três agraciadas com Prêmio Especial de Equidade, destinado às empresas que utilizam boas práticas de responsabilidade social, além de promover a diversidade e o combate à discriminação. “Há mais de 10 anos buscamos incluir profissionais com deficiências ou necessidades especiais, tanto na matriz como nas obras de manutenção que realizamos em todo o território nacional. Em determinado momento passamos a ter dificuldades para encontrar profissionais com experiência e bem preparados, então, decidimos montar um projeto e fomos buscar, em comunidades carentes da região metropolitana de Porto Alegre, pessoas sem experiência para incluí-las no mercado de trabalho, proporcionando a elas uma capacitação remunerada”, acrescenta Silva.

 

O primeiro curso, realizado em 2012, reuniu 12 candidatos, a maior parte com problemas mentais, sendo que seis foram absorvidos pela empresa (dois trabalham nela até hoje) enquanto os demais foram encaminhados para outras instituições. “Tivemos a responsabilidade de encaminhá-los ao mercado de trabalho. Alguns, que trabalham por perto, ainda nos visitam e são muito gratos por isso”, destaca a coordenadora de recursos humanos da Estrutural Serviços Industriais, Marcia Moreira.

 

No segundo semestre de 2018 uma nova turma começou a ser capacitada na unidade instalada em Canoas (RS), onde 14 alunos com idades entre 20 e 56 anos e com deficiências físicas, visuais, intelectuais e psicossociais (onde se enquadra o autismo e a bipolaridade) têm aulas de segunda à sexta-feira, sempre no turno da manhã, e são acompanhados por uma equipe multidisciplinar formada por uma pedagoga, uma psicóloga, um médico e um engenheiro de segurança. “São abordadas questões éticas, administrativas e financeiras, além de uma preparação específica para as áreas de tecnologia da informação e de suprimentos. Focamos também em outros assuntos, como planejamento familiar e orçamento doméstico, não apenas questões relacionadas ao trabalho. Ensinamos como pegar o ônibus ou o trem, trabalhamos muito a autonomia deles, preparando-os para a vida também”, ressalta Marcia, informando que durante os seis meses do treinamento todos os candidatos são contratados pela Estrutural, com carteira de trabalho, sendo obrigados inclusive a bater o ponto na entrada e na saída, a exemplo dos demais funcionários.

 

Marcia observa ainda que muitas pessoas têm deficiências que não são o suficiente para receber algum tipo de benefício, como o auxílio previdenciário, por exemplo, e acabam ficando à margem do mercado de trabalho porque não se enquadram nem no perfil do Governo nem no perfil das empresas. “Nossa preocupação é justamente essa, prepará-los para o mercado de trabalho. Ao longo dos últimos anos conseguimos incluir pessoas com deficiências até mesmo nas refinarias, onde havia alguma dificuldade”, comemora, informando que, em média, cerca de 60 profissionais com algum tipo de necessidade especial integram o quadro funcional da Estrutural, atuando tanto na matriz e nas filiais da empresa como nas paradas de manutenção.



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar