acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Investimentos

Com um contrato de R$ 2,2 bi, Estaleiro EAS em Suape, retoma projetos de construção naval

13/12/2016 | 17h55
Com um contrato de R$ 2,2 bi, Estaleiro EAS em Suape, retoma projetos de construção naval
Divulgação Divulgação

O Estaleiro Atlântico Sul (EAS), instalado no Porto de Suape, em Pernambuco, comemorou através da sua diretoria uma resolução do Fundo da Marinha Mercante (FMM) em conceder prioridade ao financiamento da South American Tanker Company Navegação S.A. (Satco) na aquisição de oito embarcações do tipo navio-tanque. A Satco, uma Empresa Brasileira de Navegação (EBN) com investidores internacionais, contratou a construção dos navios junto ao EAS em um projeto com orçamento de mais de R$ 2,2 bilhões.

Mais R$ 9,15 bilhões

O Fundo da Marinha Mercante também aprovou um total de R$ 9,15 bilhões para financiamentos a projetos da indústria naval, dos quais R$ 3,18 bilhões serão destinados à aquisição de cinco navios-tanque do tipo suezmax com a EAS. A Satco, que tem ligação com a maior companhia privada de navegação do mundo, a Eastern Pacific Shipping (EPS), com sede em Cingapura, assinou um memorando de intenções com o estaleiro pernambucano para a construção dessas embarcações.

Os contratos são considerados estratégicos para a continuidade dos negócios do estaleiro após a interrupção das encomendas da Transpetro, impulsionada pela paralisação da indústria brasileira de óleo e gás. Sua assinatura contou até mesmo com a colaboração do secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco e presidente do Complexo Portuário de Suape, Thiago Norões, que viajou a Londres para negociar com a diretoria da Satco.

“Enquanto a maioria dos estaleiros brasileiros não sobreviveu ao momento econômico pelo qual estamos passando, nós soubemos aprender com as dificuldades, aumentando nossos níveis de competitividade e reconquistando encomendas que haviam sido perdidas, além de novos clientes, inclusive de fora do Brasil”, afirma Norões. Ele destaca que outro estaleiro pernambucano, o Vard Promar, reestruturou seu perfil para atuar em reparos navais e já vislumbra a conquista de contratos nesse segmento.



Fonte: Redação/Assessoria Infraroi
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar