Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petrobras

Com destaque no pré-sal, Petrobras registra recordes na produção em 2020

08/01/2021 | 16h04
Com destaque no pré-sal, Petrobras registra recordes na produção em 2020
Agência Petrobras Agência Petrobras

Em 2020 a Petrobras registrou recordes na sua produção anual de óleo e na sua produção anual total (óleo e gás natural) de, respectivamente, 2,28 milhões de barris por dia (bpd) de óleo e 2,84 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed). Os recordes anteriores ocorreram em 2015 e foram de 2,23 milhões de bpd de óleo e 2,79 milhões de boed.

Os atuais recordes de produção estão suportados em uma carteira de ativos com maior valor. A produção no pré-sal totalizou 1,86 milhão de boed em 2020, representando 66% da produção total da Petrobras. Em 2015, essa produção no pré-sal correspondia a 24% da produção total da Petrobras.

InstitucionalOs valores realizados de produção anual de óleo e de produção anual total coincidem com o centro das metas de produção revisadas em outubro de 2020, no Relatório de Produção e Vendas do 3T20, e superam em 5% as metas originalmente previstas para o ano.

O atingimento de maiores volumes de produção em relação ao originalmente previsto foi decorrência dos seguintes fatores:

(a) produção acima da capacidade nominal de processamento no campo de Búzios, em função de maior disponibilidade temporária de geração de energia e compressão de gás nas plataformas desse campo;

(b) menor número de intervenções para combate à corrosão por CO2 nos dutos submarinos de injeção de gás, em função do desenvolvimento de novas ferramentas e tecnologias de inspeção;

(c) menor declínio de produção observado nos campos de Tupi e Sapinhoá, em função de melhor desempenho dos reservatórios; e

(d) maior eficiência de produção e otimização de paradas de produção nas plataformas, apesar do cenário de restrições operacionais decorrente dos impactos provocados pela pandemia da COVID-19.

Os recordes demonstram o bom desempenho operacional mesmo no cenário desafiador de 2020, com maior foco em ativos de classe mundial em águas profundas e ultraprofundas, onde a Petrobras tem demonstrado grande diferencial competitivo.

Divulgação



Fonte: Redação TN Petróleo, Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar