acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indústria

Capacidade instalada na indústria cresce em abril, divulga CNI

05/06/2019 | 12h29
Capacidade instalada na indústria cresce em abril, divulga CNI
Divulgação Divulgação

A atividade industrial cresceu em abril. A utilização da capacidade instalada aumentou 0,6 ponto percentual frente a março e atingiu 77,8%, o maior índice desde agosto do ano passado, na série livre de influências sazonais. As informações são dos Indicadores Industriais, divulgados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta segunda-feira (3).

As horas trabalhadas na produção cresceram 1,1% e o faturamento teve alta de 3,3% em abril ante março, nas séries sem influências sazonais. Em relação às horas trabalhadas, houve reversão de parte da queda de 1,6% no período anterior. Conforme o levantamento, esse indicador está oscilando desde o fim de 2017 e mostram leve tendência de alta desde o fim do ano passado.

Já em relação ao faturamento, apesar do aumento, não se conseguiu reverter a queda de 4,9% em março na comparação com fevereiro. Segundo a pesquisa, o indicador continua alternando variações positivas e negativas mensalmente desde o fim da paralisação dos caminhoneiros, em maio de 2018. “Como as quedas vem superando as altas, a tendência do faturamento é de queda”, destaca o documento da CNI.

Emprego estável

O emprego na indústria cresceu 0,1% em bril frente a março, na série livre de influências sazonais. A CNI ressalta que o emprego continua estável, com pequenas oscilações, desde março de 2017, quando terminou uma longa trajetória de queda no indicador.

A massa salarial aumentou 0,5% e o rendimento médio do trabalhador cresceu 0,9% em abril ante março, nas séries livres de influências sazonais. Enquanto o índice de massa salarial vinha de três quedas consecutivas, com recuo acumulado de 3,9%, o rendimento cresce pelo segundo mês consecutivo. Apesar da alta, o indicador vem de uma trajetória de retração ao longo de 2018.



Fonte: Redação/Agência CNI de Notícias
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar