acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petróleo e Gás

Banco de dados da ANP está protegido contra espionagem, diz diretora

17/09/2013 | 15h31

 

A diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, descartou a possibilidade do banco de dados de exploração e produção de óleo e gás natural no país ter sido espionado pelos Estados Unidos. Durante audiência pública no Senado sobre a questão da espionagem dos EUA na Petrobras, Magda Chambriard disse que o banco de dados da agência - um dos maiores acervos do mundo, com dados geológicos, físicos e sísmicos, além de amostras, testes e perfis de poços de óleo e gás - está seguro.
Segundo ela, além de não estar disponível na internet, o banco de dados está localizado em uma sala-cofre à prova de balas, incêndio e protegido de outras ameaças. “Podem ficar tranquilos. Não é possível espionar o nosso banco de dados por meio da rede mundial de computadores”, disse. Só um “espião paranormal” teria como roubar essas informações, acrescentou.
De acordo com a diretora, estimativas da agência apontam que o Campo de Libra, a ser leiloado no dia 21 de outubro, gerará no prazo de 30 anos R$ 300 bilhões em royalties para o país, e R$ 600 bilhões em participação para a União. Ela, no entanto, enfatizou que esses valores representam uma “estimativa que depende do espaço de desenvolvimento do campo e de projetos da empresa” que vencer a licitação.
Desde 25 de junho, 18 empresas, de diversos países, pediram à ANP acesso aos dados sobre o Campo de Libra, além de 11 que já acessam as informações por serem consideradas parceiras associadas, informou a diretora.

A diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, descartou a possibilidade do banco de dados de exploração e produção de óleo e gás natural no país ter sido espionado pelos Estados Unidos. Durante audiência pública no Senado sobre a questão da espionagem dos EUA na Petrobras, Magda Chambriard disse que o banco de dados da agência - um dos maiores acervos do mundo, com dados geológicos, físicos e sísmicos, além de amostras, testes e perfis de poços de óleo e gás - está seguro.


Segundo ela, além de não estar disponível na internet, o banco de dados está localizado em uma sala-cofre à prova de balas, incêndio e protegido de outras ameaças. “Podem ficar tranquilos. Não é possível espionar o nosso banco de dados por meio da rede mundial de computadores”, disse. Só um “espião paranormal” teria como roubar essas informações, acrescentou.


De acordo com a diretora, estimativas da agência apontam que o Campo de Libra, a ser leiloado no dia 21 de outubro, gerará no prazo de 30 anos R$ 300 bilhões em royalties para o país, e R$ 600 bilhões em participação para a União. Ela, no entanto, enfatizou que esses valores representam uma “estimativa que depende do espaço de desenvolvimento do campo e de projetos da empresa” que vencer a licitação.


Desde 25 de junho, 18 empresas, de diversos países, pediram à ANP acesso aos dados sobre o Campo de Libra, além de 11 que já acessam as informações por serem consideradas parceiras associadas, informou a diretora.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar