acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Acordo

ANP posterga prazo para comprovação da capacidade financeira da OGX

13/01/2014 | 09h37

 

A petroleira Óleo e Gás, ex-OGX, que está em recuperação judicial, informou no final da última sexta-feira (10) que a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou pedido de postergação de prazo para comprovação de sua capacidade financeira.
Segundo comunicado da empresa de Eike Batista, a ANP adiou até 24 de janeiro de 2014 o prazo para comprovação da adimplência/capacidade financeira referente aos compromissos assumidos nos contratos de operação e concessão dos quais faz parte.
Na última quinta-feira (9), a Óleo e Gás disse que pagou parte de suas dívidas relacionadas aos custos de desenvolvimento de dois campos de petróleo no litoral brasileiro.
A empresa, que entrou com o maior pedido de recuperação judicial da América Latina em outubro, afirmou que pagou a primeira parcela de uma dívida em atraso no valor de 73 milhões de reais relacionados aos campos de Atlanta e Oliva, na Bacia de Santos.

A petroleira Óleo e Gás, ex-OGX, que está em recuperação judicial, informou no final da última sexta-feira (10) que a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou pedido de postergação de prazo para comprovação de sua capacidade financeira.


Segundo comunicado da empresa de Eike Batista, a ANP adiou até 24 de janeiro de 2014 o prazo para comprovação da adimplência/capacidade financeira referente aos compromissos assumidos nos contratos de operação e concessão dos quais faz parte.


Na última quinta-feira (9), a Óleo e Gás disse que pagou parte de suas dívidas relacionadas aos custos de desenvolvimento de dois campos de petróleo no litoral brasileiro.


A empresa, que entrou com o maior pedido de recuperação judicial da América Latina em outubro, afirmou que pagou a primeira parcela de uma dívida em atraso no valor de 73 milhões de reais relacionados aos campos de Atlanta e Oliva, na Bacia de Santos.



Fonte: Redação TN/ Ascom OGX
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar