acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Publicação

Aïda Espinola lança livro sobre a história do petróleo

14/10/2013 | 16h42

 

A engenheira química Aïda Espinola lança, pela editora Interciência, o livro Ouro Negro – Petróleo no Brasil. A publicação mostra a importância do petróleo na vida moderna e a aplicação de seus derivados no dia a dia das pessoas. A obra apresenta o universo dessa indústria, que abrange a origem do produto, os processos para localizá-lo, o cálculo das reservas, o processamento da sua exploração, o seu transporte e sua refinação.
A autora vai a fundo passando desde as origens do petróleo até a descoberta, a localização e a regulamentação da exploração do petróleo no mundo e no Brasil, resgatando, ainda, os primórdios da história que remonta os tempos bíblicos - quatro mil anos a.C. -, quando estudos arqueológicos comprovam a participação do petróleo, do asfalto e do betume na vida humana.
A obra discorre sobre a transformação da palavra petróleo, que recebeu diferentes denominações, tais como alcatrão, asfalto, betume, lama, nafta, nafta da Pérsia, óleo de São Quirino. Explora ainda a substituição do querosene por produtos de sua destilação, otimizando a sua utilização em itens como iluminação.
Espinola fundamenta a sua obra em contribuições à pesquisa realizadas pelo Departamento Nacional Mineral/Ministério da Agricultura, que mais tarde passou a se chamar Ministério das Minas e Energia, antecedendo a criação da Petrobras. A formação do mercado brasileiro de petróleo com a criação do Petróleo Brasileiro S.A., Petrobras, em 1954, é citado no livro, que demonstra o estabelecimento da pesquisa, lavra, refino e transporte de petróleo e derivados como atribuições estatais.
Sobre a autora
Aïda Espinola também é Mestre em Química Analítica pela University of Minnesota, Ph.D. em Química e Geoquímica na Pennsylvania State University (PSU), além de ter recebido inúmeras homenagens e condecorações, medalhas, placas e títulos honoríficos. Iniciando sua carreira técnico-científica no Laboratório da Produção Mineral, do Departamento Nacional da Produção Mineral, conquistou o 1º lugar no concurso público do DASP. Lá implantou o “Laboratório de Análises Químicas de Rochas” e assumiu, oficialmente, sua chefia. Logo depois, o laboratório foi renomeado “Laboratório de Geoquímica” e por vários anos foi, no Brasil, o único a realizar análises químicas completas de rochas e de silicatos em geral, bem como identificações de minerais e rochas.

A engenheira química Aïda Espinola lança, pela editora Interciência, o livro Ouro Negro – Petróleo no Brasil. A publicação mostra a importância do petróleo na vida moderna e a aplicação de seus derivados no dia a dia das pessoas. A obra apresenta o universo dessa indústria, que abrange a origem do produto, os processos para localizá-lo, o cálculo das reservas, o processamento da sua exploração, o seu transporte e sua refinação.

A autora vai a fundo passando desde as origens do petróleo até a descoberta, a localização e a regulamentação da exploração do petróleo no mundo e no Brasil, resgatando, ainda, os primórdios da história que remonta os tempos bíblicos - quatro mil anos a.C. -, quando estudos arqueológicos comprovam a participação do petróleo, do asfalto e do betume na vida humana.

A obra discorre sobre a transformação da palavra petróleo, que recebeu diferentes denominações, tais como alcatrão, asfalto, betume, lama, nafta, nafta da Pérsia, óleo de São Quirino. Explora ainda a substituição do querosene por produtos de sua destilação, otimizando a sua utilização em itens como iluminação.

Espinola fundamenta a sua obra em contribuições à pesquisa realizadas pelo Departamento Nacional Mineral/Ministério da Agricultura, que mais tarde passou a se chamar Ministério das Minas e Energia, antecedendo a criação da Petrobras. A formação do mercado brasileiro de petróleo com a criação do Petróleo Brasileiro S.A., Petrobras, em 1954, é citado no livro, que demonstra o estabelecimento da pesquisa, lavra, refino e transporte de petróleo e derivados como atribuições estatais.


Sobre a autora

Aïda Espinola também é Mestre em Química Analítica pela University of Minnesota, Ph.D. em Química e Geoquímica na Pennsylvania State University (PSU), além de ter recebido inúmeras homenagens e condecorações, medalhas, placas e títulos honoríficos. Iniciando sua carreira técnico-científica no Laboratório da Produção Mineral, do Departamento Nacional da Produção Mineral, conquistou o 1º lugar no concurso público do DASP. Lá implantou o “Laboratório de Análises Químicas de Rochas” e assumiu, oficialmente, sua chefia. Logo depois, o laboratório foi renomeado “Laboratório de Geoquímica” e por vários anos foi, no Brasil, o único a realizar análises químicas completas de rochas e de silicatos em geral, bem como identificações de minerais e rochas.



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação com Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar