acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Intercâmbio

Agenda da Fiec pela inovação é desafiadora

08/11/2013 | 10h49

 

Não será fácil tornar realidade o sonho de inovação que hoje move a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). Há sérios e tradicionais obstáculos a serem vencidos, entre eles a necessidade de uma agenda objetiva conjunta do setor produtivo e da academia que gera a pesquisa científica para a indústria. Outro desafio é a urgente modernização dos mecanismos de apoio à inovação.
Este é o cenário desenhado por Carlos Matos, diretor do Instituto de Desenvolvimento Industrial do Ceará (Indi), que acaba de liderar missão empresarial da Fiec a Boston, centro da melhor academia do mundo.
Para ele, a rota segura é a abordagem do que se denomina ecossistema da inovação - "ação integrada de quem produz, de quem faz pesquisa e de quem formula as políticas públicas".
A viagem a Boston revelou que a estratégia da Fiec e do Indi está correta: inserir o Ceará e os cearenses nos programas de educação para a inovação que constam do cardápio das grandes universidades do mundo, a começar pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts - o MIT.
Como resultado desses contatos, está programada para a última semana do próximo janeiro a realização de um seminário sobre produtividade industrial.
A ele estarão presentes o professor-doutor Richard Locke, diretor do Instituto Watson da Brown University, de Rhode Island, cuja atividade é voltada para a pesquisa e projetos, e do professor-doutor Ben Schneider, diretor do MIT Brasil.
Um dos objetivos da viagem - promover intercâmbio de estudantes do Ceará e das universidades americanas - foi alcançado: o MIT, a Brown University e o Olin College confirmaram seu interesse em intensificar o relacionamento com o Ceará.
Inserção
No MIT, há um programa especial estratégico voltado para projetos de interesse do Brasil. Nele será incluído o Ceará. "Já temos, por meio do Programa Universidade-Empresa - o UniEmpre - uma estreita cooperação com a Universidade Bem Gurion, de Israel. Agora, o programa avança na direção da melhor academia dos Estados Unidos, e isso nos anima a prosseguir no esforço de fortalecer a relação com a Unifor, UFC, Uece e IFCE", acrescenta o diretor do Indi/Fiec. De acordo com Matos, a presença do representante do Senai nacional na missão a Boston, Bruno Duarte, deve ser vista como apoio direto da Confederação Nacional da Indústria aos projetos e iniciativas da Fiec/Indi. "Estas iniciativas mostram a disposição e o vigor da iniciativa privada de construir seu próprio futuro e o da Nação", finalizou.

Não será fácil tornar realidade o sonho de inovação que hoje move a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). Há sérios e tradicionais obstáculos a serem vencidos, entre eles a necessidade de uma agenda objetiva conjunta do setor produtivo e da academia que gera a pesquisa científica para a indústria. Outro desafio é a urgente modernização dos mecanismos de apoio à inovação.

Este é o cenário desenhado por Carlos Matos, diretor do Instituto de Desenvolvimento Industrial do Ceará (Indi), que acaba de liderar missão empresarial da Fiec a Boston, centro da melhor academia do mundo.

Para ele, a rota segura é a abordagem do que se denomina ecossistema da inovação - "ação integrada de quem produz, de quem faz pesquisa e de quem formula as políticas públicas".

A viagem a Boston revelou que a estratégia da Fiec e do Indi está correta: inserir o Ceará e os cearenses nos programas de educação para a inovação que constam do cardápio das grandes universidades do mundo, a começar pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts - o MIT.

Como resultado desses contatos, está programada para a última semana do próximo janeiro a realização de um seminário sobre produtividade industrial.

A ele estarão presentes o professor-doutor Richard Locke, diretor do Instituto Watson da Brown University, de Rhode Island, cuja atividade é voltada para a pesquisa e projetos, e do professor-doutor Ben Schneider, diretor do MIT Brasil.

Um dos objetivos da viagem - promover intercâmbio de estudantes do Ceará e das universidades americanas - foi alcançado: o MIT, a Brown University e o Olin College confirmaram seu interesse em intensificar o relacionamento com o Ceará.


Inserção

No MIT, há um programa especial estratégico voltado para projetos de interesse do Brasil. Nele será incluído o Ceará.

"Já temos, por meio do Programa Universidade-Empresa (UniEmpre) uma estreita cooperação com a Universidade Bem Gurion, de Israel. Agora, o programa avança na direção da melhor academia dos Estados Unidos, e isso nos anima a prosseguir no esforço de fortalecer a relação com a Unifor, UFC, Uece e IFCE", acrescenta o diretor do Indi/Fiec.

De acordo com Matos, a presença do representante do Senai nacional na missão a Boston, Bruno Duarte, deve ser vista como apoio direto da Confederação Nacional da Indústria aos projetos e iniciativas da Fiec/Indi. "Estas iniciativas mostram a disposição e o vigor da iniciativa privada de construir seu próprio futuro e o da Nação", finalizou.

 



Fonte: Diário do Nordeste
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar