Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site. Se você continuar a usar este site, assumiremos que você concorda com a nossa política de privacidade, termos de uso e cookies.

acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Evento online

Webinar sobre transição energética promovido pela FGV Energia tem participação de Bento Albuquerque do MME

11/06/2021 | 10h40
Webinar sobre transição energética promovido pela FGV Energia tem participação de Bento Albuquerque do MME
Divulgação Divulgação

"O Brasil está bem posicionado no processo de transição energética mundial pelas características da nossa matriz, nosso planejamento energético de longo prazo, e, claro, nossas capacidades industriais, e em P&D". A afirmação é do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque (foto), ao participar, nesta quarta-feira (9/6), do webinar "World Energy Transition", promovido pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O evento também teve a participação do diretor da Agência Internacional de Energia (IEA), Fatih Birol, do presidente da FGV, Carlos Ivan Simonsen, e do diretor da FGV Energia, Carlos Otavio Quintella. A professora Fernanda Delgado moderou os debates.

DivulgaçãoBento Albuquerque lembrou que o Brasil foi reconhecido como um dos campeões da transição energética no contexto do Diálogo de Alto Nível das Nações Unidas sobre Energia, que está ocorrendo neste ano. Essa é a primeira iniciativa estruturada da Organização das Nações Unidas (ONU) em energia nos últimos quarenta anos. O crescente interesse do setor privado em conhecer esse processo no âmbito da ONU é "uma demonstração inequívoca de que o setor privado brasileiro está muito sensível a esses temas e atento para as transformações em curso".

O ministro ressaltou a importância da modernização do setor elétrico e como ela é "essencial para o desenvolvimento de novos modelos de negócios, a atração de investimentos e a adequação dos marcos regulatórios às inovações tecnológicas em curso no setor". E disse "que não há escolha tecnológica única nem receita universal", e que "o sucesso da transição energética global dependerá, em grande medida, da utilização de todas as tecnologias e fontes viáveis".

O diretor da IEA sublinhou que o mundo precisará de todas as energias de tecnologias limpas, pois os desafios são grandes e não se tem o privilégio de escolher apenas uma ou outra rota de descarbonização para trabalhar.

Birol reconheceu o papel do Brasil no trajeto de transição energética ao afirmar que o Brasil tem uma história de sucesso com as energias renováveis. "A transição energética não é fácil para nenhum país no mundo, mas é necessária. Não tenho dúvidas que o País está se saindo e se sairá bem", afirmou o diretor-executivo.

Bento Albuquerque encerrou sua participação chamando a atenção para avanços recentes em novas áreas, a exemplo dos biocombustíveis do futuro e do hidrogênio, lembrando que diretrizes para o Programa Nacional do Hidrogênio deverão ser submetidas ao Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), dentro de 45 dias. "Apostamos nas diferentes rotas de produção do hidrogênio e na versatilidade de seu uso energético com vistas a um mercado abrangente e à redução de custos", enfatizou o ministro.



Fonte: Redação TN Petróleo/Assessoria MME
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar