acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Siemens fornecerá tecnologia para Cocal Açúcar e Álcool

17/12/2012 | 10h31

 

A Siemens firmou um contrato inédito com a Cocal Açúcar e Álcool para o fornecimento de tecnologias capazes de impulsionar a eficiência energética no mercado de açúcar e álcool brasileiro. A companhia fornecerá, pela primeira vez no setor sucroalcooleiro, dois turbo geradores (2x51,3 MW) com solução de ciclo regenerativo e otimização do balanço térmico. O investimento, antes visto pelo setor como um desafio tecnológico e também cultural, permite às usinas duas opções: consumir a mesma quantidade combustível e gerar excedente de energia ou manter a geração e reduzir a quantidade de combustível.
“Trata-se da aplicação de uma tecnologia dominada pela Siemens e já aplicada em outros mercados, e que possibilita às usinas de açúcar e álcool estenderem a geração de energia ao período úmido do ano. Em linhas gerais, com os novos equipamentos, a energia que era gerada em oito meses, correspondentes ao período seco do ano, pode ser estendida aos quatro meses finais, em que ocorre o período úmido. Ou seja, a economia de combustível favorece o potencial para gerar energia nos períodos de parada ou entressafra”, afirma Fernando Alves dos Santos, Engenheiro de Vendas, da Siemens.
Além dos dois turbogeradores adquiridos pela Cocal, com implantação prevista para junho de 2013 e abril de 2014, respectivamente, o contrato envolve também o escape axial, solução que reduz o tamanho da área que abrigará os turbogeradores (ganho de 7 a 8 metros de altura).
O contrato inédito é resultado do avanço da Siemens no setor sucroalcooleiro no Brasil e no aumento da capacidade de produção e entrega de equipamentos. Nos últimos cinco anos, a empresa mais que triplicou a produção de turbinas e projeta expansão para os próximos anos.
“Acreditamos que, nos últimos anos, o mercado de açúcar e álcool vem atingindo uma maturidade em termos de evolução tecnológica. E, neste contexto, a Siemens tem como atributo a consistência na cogeração de energia aliada ao ciclo regenerativo, que atende as necessidades atuais do mercado”, informa Santos.
Outro diferencial é que a Siemens se apoia em produção local, em 14 fábricas no país, e já conta com turbinas de alto desempenho 100% nacionalizadas direto em sua unidade em Jundiaí. Lá está o complexo industrial da companhia que abriga o centro para produção e manutenção de turbinas.
“O único equipamento da América do Sul capaz de realizar balanceamento de rotores em altas velocidade e ensaios de sobrevelocidade está na Siemens Jundiaí. Este investimento possibilitou a produção de uma gama de rotores no Brasil. Antes, alguns deles eram produzidos na Alemanha, por necessidade de balanceamento. Hoje, a balanceadora aumentou nossa capacidade fabril e, consequentemente, competitividade, além de outras vantagens operacionais que o equipamento oferece aos nossos clientes. “De 2006 até hoje, nossa fábrica de turbinas duplicou” complementa Fernando.
Além da Cocal, a Siemens firmou, em 2012, contratos com outras grandes empresas como o Grupo Guarani, no Brasil, em que o fornecimento contempla também a turbina com escape axial, além de contratos internacionais como a Bioenergy, na Colômbia, contando com a mesma tecnologia e empresas na Guatemala e El Salvador, com potências superiores a 60MW.

A Siemens firmou um contrato inédito com a Cocal Açúcar e Álcool para o fornecimento de tecnologias capazes de impulsionar a eficiência energética no mercado de açúcar e álcool brasileiro. A companhia fornecerá, pela primeira vez no setor sucroalcooleiro, dois turbo geradores (2x51,3 MW) com solução de ciclo regenerativo e otimização do balanço térmico. O investimento, antes visto pelo setor como um desafio tecnológico e também cultural, permite às usinas duas opções: consumir a mesma quantidade combustível e gerar excedente de energia ou manter a geração e reduzir a quantidade de combustível.


“Trata-se da aplicação de uma tecnologia dominada pela Siemens e já aplicada em outros mercados, e que possibilita às usinas de açúcar e álcool estenderem a geração de energia ao período úmido do ano. Em linhas gerais, com os novos equipamentos, a energia que era gerada em oito meses, correspondentes ao período seco do ano, pode ser estendida aos quatro meses finais, em que ocorre o período úmido. Ou seja, a economia de combustível favorece o potencial para gerar energia nos períodos de parada ou entressafra”, afirma Fernando Alves dos Santos, Engenheiro de Vendas, da Siemens.


Além dos dois turbogeradores adquiridos pela Cocal, com implantação prevista para junho de 2013 e abril de 2014, respectivamente, o contrato envolve também o escape axial, solução que reduz o tamanho da área que abrigará os turbogeradores (ganho de 7 a 8 metros de altura).


O contrato inédito é resultado do avanço da Siemens no setor sucroalcooleiro no Brasil e no aumento da capacidade de produção e entrega de equipamentos. Nos últimos cinco anos, a empresa mais que triplicou a produção de turbinas e projeta expansão para os próximos anos.


“Acreditamos que, nos últimos anos, o mercado de açúcar e álcool vem atingindo uma maturidade em termos de evolução tecnológica. E, neste contexto, a Siemens tem como atributo a consistência na cogeração de energia aliada ao ciclo regenerativo, que atende as necessidades atuais do mercado”, informa Santos.


Outro diferencial é que a Siemens se apoia em produção local, em 14 fábricas no país, e já conta com turbinas de alto desempenho 100% nacionalizadas direto em sua unidade em Jundiaí. Lá está o complexo industrial da companhia que abriga o centro para produção e manutenção de turbinas.


“O único equipamento da América do Sul capaz de realizar balanceamento de rotores em altas velocidade e ensaios de sobrevelocidade está na Siemens Jundiaí. Este investimento possibilitou a produção de uma gama de rotores no Brasil. Antes, alguns deles eram produzidos na Alemanha, por necessidade de balanceamento. Hoje, a balanceadora aumentou nossa capacidade fabril e, consequentemente, competitividade, além de outras vantagens operacionais que o equipamento oferece aos nossos clientes. “De 2006 até hoje, nossa fábrica de turbinas duplicou” complementa Fernando.


Além da Cocal, a Siemens firmou, em 2012, contratos com outras grandes empresas como o Grupo Guarani, no Brasil, em que o fornecimento contempla também a turbina com escape axial, além de contratos internacionais como a Bioenergy, na Colômbia, contando com a mesma tecnologia e empresas na Guatemala e El Salvador, com potências superiores a 60MW.

 



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar