acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Negócios

Shell vende 23% de participação em BC-10

29/01/2014 | 09h36
Shell vende 23% de participação em BC-10
FPSO Espirito Santo. Divulgação Shell FPSO Espirito Santo. Divulgação Shell

 

A empresa Qatar Petroleum International adquiriu 23% de participação no projeto offshore Parque das Conchas (BC-10), da Shell. Segundo o comunicado da empresa anglo-holandesa, o valor do negócio é de US$ 1 bilhão.
A conclusão da venda está sujeita à aprovação regulatória da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).
A Shell continuará a operar BC-10, com uma participação de 50%, e mantém uma presença significativa em exploração e produção de petróleo e gás no Brasil. Além da recente participação no consórcio vencedor do leilão de Libra, a companhia opera atualmente dois navios flutuantes de produção, armazenamento e descarga (FPSO) em águas brasileiras - o Espírito Santo, no Parque das Conchas, e o Fluminense, nos blocos de Bijupirá & Salema.
Atualmente, o Parque das Conchas produz cerca de 50 mil barris de óleo equivalente (boe) por dia. Desde que entrou em operação em 2009, já produziu mais de 80 milhões de boe. A Fase 2 do projeto, que conectou o reservatório Argonauta O-Norte ao FPSO Espírito Santo, entrou em operação em 1º de outubro de 2013, com um pico de produção esperado de 35 mil boe por dia.
A decisão final de investimento para a Fase 3 de BC-10 foi tomada em julho de 2013 e, uma vez em produção, deve chegar a um pico de 28 mil boe por dia.
A Shell tem ainda outros ativos no Brasil, incluindo o negócio de lubrificantes e a participação na joint venture Raízen, maior produtora de etanol de cana de açúcar do país.

A empresa Qatar Petroleum International adquiriu 23% de participação no projeto offshore Parque das Conchas (BC-10), da Shell. Segundo o comunicado da empresa anglo-holandesa, o valor do negócio é de US$ 1 bilhão.

A conclusão da venda está sujeita à aprovação regulatória da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A Shell continuará a operar BC-10, com uma participação de 50%, e mantém uma presença significativa em exploração e produção de petróleo e gás no Brasil. Além da recente participação no consórcio vencedor do leilão de Libra, a companhia opera atualmente dois navios flutuantes de produção, armazenamento e descarga (FPSO) em águas brasileiras - o Espírito Santo, no Parque das Conchas, e o Fluminense, nos blocos de Bijupirá & Salema.

Atualmente, o Parque das Conchas produz cerca de 50 mil barris de óleo equivalente (boe) por dia. Desde que entrou em operação em 2009, já produziu mais de 80 milhões de boe. A Fase 2 do projeto, que conectou o reservatório Argonauta O-Norte ao FPSO Espírito Santo, entrou em operação em 1º de outubro de 2013, com um pico de produção esperado de 35 mil boe por dia.

A decisão final de investimento para a Fase 3 de BC-10 foi tomada em julho de 2013 e, uma vez em produção, deve chegar a um pico de 28 mil boe por dia.

A Shell tem ainda outros ativos no Brasil, incluindo o negócio de lubrificantes e a participação na joint venture Raízen, maior produtora de etanol de cana de açúcar do país.



Fonte: Revista TN Petróleo, Redação com Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar