acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Capitalização

Reunião da CNPE de hoje depende de negociações para preço do barril

01/09/2010 | 09h06
Reunião da CNPE de hoje depende de negociações para preço do barril
Reunião da CNPE de hoje depende de negociações para preço ... Reunião da CNPE de hoje depende de negociações para preço ...

O ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, afirmou ontem que a realização da reunião de hoje do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) depende do sucesso nas negociações entre a Petrobras e o governo na definição do valor do barril de petróleo, que será usado na cessão onerosa de até 5 bilhões de barris de óleo equivalente para a estatal. Zimmermann alegou ter passado o dia fora de Brasília, sem ter se comunicado com os responsáveis pela negociação.

 

 

"Vocês estão mais bem informados do que eu. Eu não tive contato com Brasília. Estava em Sertãozinho. Fui pra lá às 7h da manhã e vim direto para cá", ressaltou o ministro. "Marcamos a reunião preventivamente para quarta-feira. Se tivesse tudo fechado, sairia a reunião, senão, marcaríamos de novo para daqui a dois dias", acrescentou.

 

 

A reunião do CNPE, órgão consultivo da Presidência da República, é um passo necessário para a aprovação do valor do barril, além de ser condição para a discussão dos pontos do contrato que será firmado entre a Petrobras e a União para a cessão dos barris de petróleo.

 

 

De concreto, o ministro garantiu apenas que não haverá outra rodada de licitações da Agência Nacional do Petróleo (ANP) antes da aprovação, pelo Congresso, de todo o marco regulatório do pré-sal. Dos quatro projetos enviados ao Congresso, falta ser aprovado o que institui a partilha de produção no modelo brasileiro do setor de óleo e gás.

 

 

"Rodada nova só depois da definição sobre o pré-sal", garantiu o ministro. "Esperamos a conclusão pelo Congresso do novo marco regulatório e, a partir do próximo ano, o novo governo poderá tomar, com todos esses dados, as suas decisões sobre as rodadas e as modelagens", destacou.



Fonte: Redação/ Agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar