acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Postos de Serviço

Queda de 3,5% na distribuição e o aumento de lojas de conveniência são destaques no Anuário do Sindicom 2016

21/07/2016 | 11h16

Enquanto o varejo nacional registrou retração de 4,3% em 2015, o número de lojas de conveniência das associadas ao Sindicom cresceu 10,2% em relação ao ano anterior. Esse é um dos destaques da edição 2016 do anuário “Combustíveis, Lubrificantes & Lojas de Conveniência”.

Única publicação no país que apresenta os dados da conveniência, o anuário mostra que o aumento expressivo no número de lojas trouxe também um resultado positivo no faturamento, que cresceu 13,1%. Já o share de participação dos estabelecimentos com bandeiras das associadas passou de 41%, em 2011, para 60%, em 2015, com um total de 4.409 lojas – 408 a mais que em 2014. “O crescimento é fruto tanto da abertura de lojas quanto da entrada de lojas já existentes em nossas redes. Isso reafirma a importância da parceria entre revendedores e associadas e mostra que os empresários acreditam na oferta da conveniência como forma de maximização de seus negócios”, destaca o diretor de Mercado e Comunicação do sindicato, Cesar Guimarães.

O segmento de distribuição de combustíveis, por outro lado, registrou queda de 3,5% em relação a 2014, refletindo a retração do Produto Interno Bruto (PIB). Em 2015, as associadas comercializaram 101,1 bilhões de litros de combustíveis, com destaque para as vendas de etanol hidratado, que tiveram expansão recorde de 39,2%, alcançando 11,1 bilhões de litros.

O anuário traz, ainda, uma pesquisa elaborada pela Nielsen sobre o perfil de consumo nas lojas de conveniência, focando o comportamento do consumidor sob o ponto de vista da operação das lojas e de sua produtividade, ressaltando a importância do uso de indicadores para otimizar os resultados das lojas. A pesquisa aborda, também, a interação entre o canal conveniência e os canais tradicionais, e suas principais categorias.



Fonte: Assessoria Sindicom/Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar