acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Preços

Petróleo opera em baixa em meio a relatos de que Opep poderá elevar sua produção

23/05/2018 | 11h13

O petróleo opera em baixa nesta quarta-feira em meio a relatos de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) poderia decidir por aumentar sua produção da commodity na próxima reunião marcada para acontecer em junho.

Às 8h07 (de Brasília), o petróleo WTI para julho tinha baixa de 0,58%, a US$ 71,78 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para julho recuava 0,85%, a US$ 78,89 o barril, na ICE.

A Reuters informou ontem que a Opep poderia decidir elevar a produção de petróleo bruto em sua próxima reunião oficial no dia 22 de junho, em meio a riscos relacionados à oferta do Irã e da Venezuela no âmbito das sanções aplicadas pelos EUA.

A Opep e 10 produtores fora do cartel, incluindo a Rússia, cortaram sua produção de petróleo em cerca de 1,8 milhão de barris por dia desde o início do ano passado, como parte de um acordo coordenado para conter o excesso global de oferta que pesava sobre os preços desde o final de 2014.

Desde que este acordo se consolidou, os preços do petróleo subiram quase 40%, enquanto o mercado físico de petróleo continuou a diminuir.

A Opep informou a decisão de considerar aumentos na produção em meio a riscos geopolíticos crescentes de fornecimento de seus dois membros: Irã e Venezuela.

"As interrupções de fornecimento existentes na Venezuela e o risco de interrupções no Irã já resultaram em um aperto perceptível do fornecimento de petróleo e um aumento significativo nos preços", segundo analistas do Commerzbank.

Além das sanções que os EUA aplicaram ao Irã, mas que ainda não possuem efeito, a Venezuela já luta contra as sanções que pesam em seu fornecimento. Após o presidente venezuelano ser reeleito no domingo, os EUA ampliou a proibição aos americanos que compram a dívida venezuelana, o que potencialmente dificulta para o país obter o financiamento necessário para sua indústria de petróleo em dificuldades.

A Opep tinha "dito anteriormente que não iria responder a picos de preços de curto prazo - mas o fato é que o fornecimento de petróleo está apertando a um ritmo alarmante", segundo Stephen Brennock, analista da corretora PVM Oil Associates.

Diante do temor de aumento da produção da Opep, a queda dos estoques de petróleo bruto nos Estados Unidos, que caíram 1,3 milhão de barris na semana encerrada em 18 de maio, ficou em segundo plano. O dado foi divulgado pelo Instituto Americano de Petróleo (API, na sigla em inglês). Os investidores aguardam pelos dados oficiais do Departamento de Energia (DoE) que serão conhecidos hoje às 11h.

 

 



Fonte: Dow Jones Newswires, 23/05/2018
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar