acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Demissões

Pedro Parente se reúne com representantes do Polo Naval gaúcho, após a demissão de mais de 3 mil pessoas

21/12/2016 | 08h49
Pedro Parente se reúne com representantes do Polo Naval gaúcho, após a demissão de mais de 3 mil pessoas
Divulgação Divulgação

A reunião aconteceu na tarde da última segunda-feira (19/12), na sede da Petrobras para tratar da continuidade do Polo Naval de Rio Grande. A Superintendência do Porto do Rio Grande, através de seu diretor Superintendente, Janir Branco, representou o Governo do Estado no encontro com o presidente da Petrobras, Pedro Parente. O encontro ocorreu após a demissão de mais de três mil trabalhadores do Estaleiro Rio Grande e contou com a participação de autoridades locais.

“Fomos muito bem recebidos pela direção da Petrobras, mas o assunto é extremamente sério e delicado para a cidade e o estado”, avalia Janir Branco. Participaram da comitiva além de Branco, o vereador Julio Cesar Pereira Silva representando a Câmara de Vereadores, o vice-reitor da Universidade Federal do Rio Grande Danilo Giroldo, assessor especial da Casa Civil da Presidência da República Eduardo Krause e o prefeito de Rio Grande Alexandre Lindenmeyer. “Foi-nos relatada a situação da indústria naval brasileira e a realidade encontrada na Petrobras que foi muito abalada pelos casos de corrupção conhecidos por todos”, explica Branco.

A direção da Petrobras, informou as atitudes tomadas para garantir o pagamento dos trabalhadores da Ecovix – Engevix Construções Oceânicas. “A Petrobras garantiu o pagamento da rescisão aos trabalhadores criando uma conta conjunta e depositando valores para esse fim especifico”, salienta Branco. Além disso, a Petrobras irá garantir a manutenção do Estaleiro Rio Grande pelo período de um ano com cerca de 300 funcionários que seria o tempo necessário para que os acionistas do empreendimento busquem novos parceiros, clientes e investidores.

“A situação financeira da Petrobras também não é favorável a investimentos de alto risco e segundo informações repassadas pela direção da estatal estão sendo realizados contratos de leasing para novas plataformas”, conclui Branco. A direção da estatal reafirma a importância do Estaleiro Rio Grande para o país visto possuir um dos maiores diques-secos do mundo. Por fim, o vereador Julio Cesar solicitou a empresa que mantivesse uma pessoa como elo com as autoridades municipais. “Eles designaram um dos diretores presentes para que possamos estar mais próximos da direção da empresa, com um canal de diálogo rápido e permanente”, encerra o Ver. Julio Cesar.

Entenda o caso

O Polo Naval de Rio Grande foi criado em 2005 com a instalação da empresa QUIP (atual QGI) para a construção dos módulos da plataforma P-53. Desde o inicio, o complexo de indústria naval esteve dentro da área do Porto Organizado do Rio Grande. Após a chegada da QUIP, deu-se inicio ao processo de construção do Estaleiro Rio Grande que pertencia ao grupo WTorre. O Estaleiro passou a ser administrado posteriormente pela Engevix Construções Oceânicas conquistando um contrato para a construção de oito cascos de plataformas. Em dezembro deste ano foi realizada a entrega da terceira encomenda à Petrobras e após, o anúncio do encerramento do contrato e demissão de mais de três mil funcionários. Nesta semana foi aceito pela Justiça o pedido de recuperação judicial da empresa.



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar